ERS ATRIBUI EXCELÊNCIA CLÍNICA A UNIDADES DA REDE HOSPITAL DA LUZ

ERS ATRIBUI EXCELÊNCIA CLÍNICA AO HOSPITAL DA LUZ AVEIRO

Cinco hospitais da rede Hospital da Luz obtiveram a classificação máxima de três estrelas na dimensão de qualidade Excelência Clínica em diversas áreas clínicas da sua atividade médica e cirúrgica, segundo o relatório global do Sistema Nacional de Avaliação em Saúde (SINAS), recentemente divulgado pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS).

Assim, o Hospital da Luz Aveiro subiu de duas para três estrelas na dimensão excelência clínica na área de ortopedia, nomeadamente em artroplastias totais da anca e do joelho.

Por sua vez, o Hospital da Luz Arrábida obteve de novo a atribuição de três estrelas em excelência clínica nas áreas de ginecologia (especificamente no procedimento e acompanhamento de histerectomias) e ortopedia (artroplastias totais da anca e do joelho), tendo ainda obtido a classificação de duas estrelas (acima da média) nas áreas de cirurgia cardíaca, cirurgia geral e obstetrícia.

Quanto ao Hospital da Luz Póvoa de Varzim voltou a repetir as três estrelas em excelência clínica nas áreas de ortopedia (artroplastias totais da anca e do joelho) e de obstetrícia (partos e cuidados pré-natais), tendo ainda alcançado duas estrelas na área de ginecologia.

Já o Hospital da Luz Lisboa alcançou novamente a classificação de três estrelas em excelência clínica nas áreas de ortopedia (em concreto em artroplastias totais da anca e do joelho) e de ginecologia (nomeadamente na realização e acompanhamento de histerectomias).

Nas áreas da cirurgia geral, pediatria, cardiologia, obstetrícia e neurologia, o Hospital da Luz Lisboa obteve duas estrelas, mantendo, dessa forma, níveis de excelência clínica acima da média.
Finalmente, o Hospital da Luz Setúbal obteve a classificação máxima de três estrelas na área de ortopedia (artroplastias totais da anca e do joelho).

A ERS audita ainda os comportamentos das instituições de saúde nas áreas relacionadas com a segurança do doente, a adequação e conforto das instalações, a qualidade dos equipamentos e ainda o grau de orientação dos serviços para as necessidades e expectativas dos doentes. Em qualquer destas dimensões, as unidades da rede Hospital da Luz acima referidas foram auditadas e obtiveram classificações de três e duas estrelas, ou seja, mantiveram níveis de qualidade acima da média.

Os resultados desta avaliação, relativa ao ano de 2015, foram divulgados a 3 de janeiro último pela ERS e não constituem um ‘ranking’ dos hospitais, sendo as próprias unidades de saúde a decidir em que áreas se submetem a avaliação SINAS.

O SINAS é um sistema modular de avaliação da qualidade, a nível multidimensional, dos prestadores de cuidados de saúde. Dentro do módulo dedicado aos prestadores com internamento, são avaliadas cinco dimensões da qualidade: Excelência Clínica, Segurança do Doente, Adequação e Conforto das Instalações, Focalização no Utente e Satisfação do Utente.

A dimensão Excelência Clínica tem por objetivo a avaliação da qualidade dos cuidados de saúde propriamente ditos. O desempenho dos estabelecimentos é analisado em diversas áreas clínicas, através de um conjunto de indicadores específicos para cada uma dessas áreas. A avaliação da Excelência Clínica dos estabelecimentos é, portanto, constituída pelas avaliações parcelares em cada uma das áreas clínicas, e não apenas concentrada num único ‘rating’.

O SINAS tem por base três valores fundamentais: rigor, transparência e objetividade. A Entidade Reguladora da Saúde defende que este sistema de avaliação “pugna pela existência de rigor científico e técnico, de objetividade e justiça, de motivação e envolvimento dos prestadores, de transparência e inteligibilidade, quer para as instituições avaliadas, quer para o público em geral, em especial os utentes”.