Tratamento inovador da acalásia no Hospital da Luz

Tratamento inovador da acalásia no Hospital da Luz

Desde o início do ano, o Centro de Gastrenterologia e Endoscopia Digestiva do Hospital da Luz passou a realizar a técnica de miotomia endoscópia peroral para o tratamento da acalásia.

Atualmente, este centro é o único em Portugal que realiza esta técnica inovadora.

Existem diversas opções terapêuticas para a acalásia, nomeadamente farmacológicas, endoscópicas e cirúrgicas. A cirurgia (por via aberta ou minimamente invasiva) tem sido até agora o tratamento de eleição, sempre que indicado, com resultados positivos em cerca de 90% dos casos.   

A nova técnica de miotomia endoscópica peroral tem permitido obter resultados que ultrapassam os do tratamento cirúrgico, registando-se taxas de sucesso que atingem os 95%, além de evitar cicatrizes operatórias. 

É realizada em internamento, sob anestesia geral e demora cerca de duas horas. O período médio de internamento é de dois a três dias.  

A acalásia é a doença motora mais frequente do esófago. É uma doença rara, com uma incidência anual de um a dois casos por 100 mil habitantes. Afeta os dois sexos e é mais comum entre os 20 e os 65 anos de idade. 

Caracteriza-se essencialmente pela ausência de movimentos peristálticos (de propulsão) no esófago distal e incapacidade de relaxamento (abertura) do esfíncter esofágico inferior, devido a alterações nas fibras musculares, o que interfere com o movimento normal dos alimentos em direção ao estômago. A disfagia (dificuldade de deglutição) é o sintoma principal da doença, podendo também haver regurgitação, dor retroesternal, vómitos e emagrecimento, que se instalam, geralmente, de forma insidiosa e progressiva. O diagnóstico da acalásia é feito por endoscopia, radiografia com contraste e manometria esofágica.