Voltar

Cuidados paliativos

Os cuidados paliativos destinam-se a pessoas cuja doença, sendo grave e/ou incurável, pode causar situações de intenso sofrimento. O seu objetivo é promover o bem-estar e a qualidade de vida destes doentes, independentemente da fase em que a sua doença se encontre.

Os cuidados paliativos têm como componentes essenciais da sua intervenção o alívio dos sintomas, o apoio psicológico, espiritual e emocional do doente, o apoio à família e o apoio durante o luto, o que implica o envolvimento de uma equipa interdisciplinar, devidamente qualificada para o efeito, de médicos, enfermeiros e psicólogos.
 
Os cuidados paliativos não se destinam exclusivamente a algumas doenças: são cuidados prestados tendo em conta a situação e as necessidades globais do doente. No entanto, as doenças como o cancro, a sida, as insuficiências crónicas de órgão (p. ex. cardíaca, renal, hepática) e as doenças neurológicas graves, como a doença de Alzheimer, a doença de Parkinson e as demências, implicam frequentemente a necessidade de cuidados paliativos. 

Os cuidados paliativos não se destinam apenas à fase terminal das doenças (que corresponde aos últimos meses de vida). Na realidade, as equipas de cuidados paliativos podem acompanhar os doentes e as suas famílias ao longo de semanas, meses, ou até anos antes de chegar essa fase.