Unidade de Cirurgia Robótica

Unidade de Cirurgia Robótica

A cirurgia robótica é uma abordagem que combina a cirurgia minimamente invasiva tradicional - laparoscópica, toracoscópica, ou outra - com a utilização de um dispositivo robotizado. 

Como funciona o robot Da Vinci Si HD?

O sistema Da Vinci inclui três componentes: uma consola cirúrgica, um corpo com braços robóticos e uma torre de comando com os processadores específicos e um sistema de imagem em alta definição e três dimensões.

Sentado na consola, o cirurgião realiza a operação manipulando os controlos que dirigem os braços robóticos, guiado por uma imagem do local da intervenção tridimensional, em alta definição e presente no seu campo de visão natural.

Os braços robóticos articulados e interativos, respondem em tempo real aos comandos do cirurgião, replicando com uma precisão extrema os movimentos dos seus punhos, mãos e dedos, mas numa escala apropriada à dimensão reduzida dos instrumentos cirúrgicos que lhes estão acoplados.

O acesso dos instrumentos cirúrgicos ao campo operatório é feito através de pequenas incisões na parede corporal, designadas portas. No entanto, enquanto na cirurgia minimamente invasiva convencional o cirurgião manipula esses instrumentos diretamente, no caso da cirurgia robótica são os braços robóticos do corpo do sistema que o fazem, sempre sob o comando do cirurgião na consola.

Tal como acontece nas intervenções cirúrgicas realizadas com outras abordagens, também com o sistema de cirurgia robótica Da Vinci Si HD o doente está permanente sob o controlo total do cirurgião e da sua equipa. A interação entre o cirurgião e a sua equipa é facilitada por um microfone na consola e um sistema de amplificação de som e pelos monitores da sala que transmitem a mesma imagem do campo operatório que o cirurgião vê na consola. Durante a operação, o ajudante do cirurgião e o enfermeiro instrumentista mantêm-se sempre junto do doente, assistindo o cirurgião na escolha e mudança dos instrumentos e na sua ligação aos braços robóticos, ou realizando outras tarefas necessárias.

O sistema cirúrgico Da Vinci é altamente seguro. Possui múltiplos sistemas de segurança, não pode ser programado nem toma decisões por si. Cada manobra exige uma contribuição direta do cirurgião e durante uma operação o sistema realiza numerosas verificações de segurança. Na eventualidade de uma falha de corrente ou de uma verificação de segurança, o sistema permite ao cirurgião manter o controlo total da intervenção.

Quais são as vantagens da cirurgia robótica?

De uma forma geral, a cirurgia robótica apresenta como principais vantagens sobre a cirurgia aberta todos os benefícios já conhecidos da cirurgia minimamente invasiva.

  • Menos dor no pós-operatório
  • Menor sobrecarga e melhor resposta do sistema imunitário
  • Recuperação geral mais rápida
  • Regresso mais rápido à atividade profissional
  • Menor incidência de infeções
  • Menor incidência de hérnias incisionais
  • Cicatrizes operatórias pouco visíveis

Além disso, a cirurgia robótica tem características técnicas que aumentam a segurança dos procedimentos e potenciam as vantagens que a cirurgia minimamente invasiva convencional tem para os doentes, nomeadamente:

  • A definição de imagem é superior e a imagem é tridimensional
  • O interface digital filtra o tremor natural e aumenta a precisão dos movimentos do cirurgião
  • Os braços robóticos rodam em torno de um ponto fixo, reduzindo a tensão traumática sobre a mesma, o que deverá resultar em ainda menos dor no pós-operatório
  • A posição relativa entre o cirurgião, o campo de trabalho e os instrumentos cirúrgicos (ergonomia – importante no desempenho do cirurgião) é potencialmente perfeita
  • A liberdade de movimentos dos instrumentos é grande e replica os movimentos potenciais do punho humano
  • A dissecção dos tecidos e a identificação dos planos anatómicos naturais faz-se com mais facilidade e melhor definição
  • As suturas manuais são mais precisas e mais seguras

Em que áreas se utiliza a cirurgia robótica?

A cirurgia robótica tem vários campos de aplicação, dos quais destacamos:

  • Em cirurgia urológica, sobretudo, no tratamento do cancro da próstata
  • Em cirurgia gastrointestinal, sobretudo no tratamento do cancro do reto