Voltar

Sepsis no recém-nascido

Designa-se sepsis a infeção generalizada do organismo. O recém-nascido é particularmente suscetível a esta infeção devido à imaturidade do seu sistema imunitário, sendo este risco acrescido no recém-nascido prematuro. O recém-nascido pode nascer já infetado, ou desenvolver a infeção mais tardiamente.

A sepsis no recém-nascido é potencialmente grave, obrigando sempre a internamento hospitalar.

A fragilidade da pele do recém-nascido constitui um risco adicional para a infeção. No recém-nascido prematuro internado em cuidados intensivos, em que é necessário dispor de acessos venosos com cateteres venosos centrais para administrar a alimentação e ou terapêutica, assim como tubos endotraqueais que permitem a ventilação assistida, estes podem ser facilitadores da entrada de bactérias no organismo, aumentando o risco de infeção.

No recém-nascido é necessário estar particularmente atento porque os sinais de infeção neste grupo etário são inespecíficos. Na suspeita de infeção é realizada investigação laboratorial com o objetivo de obter informação sobre a gravidade da infeção, orientação quanto à terapêutica e sua monitorização.