Voltar

Doença hemolítica do recém-nascido

A doença hemolítica do recém-nascido acontece quando existe incompatibilidade entre o tipo de sangue (ABO ou Rh) da mãe e do feto e resulta da produção de anticorpos consequente à passagem através da placenta de glóbulos vermelhos fetais para a circulação materna.

Quando existe uma das incompatibilidades possíveis (a mãe é Rh- e o feto Rh+ ou a mãe é O e o feto é A ou B), os glóbulos vermelhos da mãe e do feto possuem antigénios de superfície diferentes. Assim, quando os glóbulos do feto chegam à circulação materna pela primeira vez o sistema imunitário materno produz um tipo de anticorpos que não atravessam a placenta. No entanto, numa segunda exposição aos antigénios dos glóbulos vermelhos fetais, o sistema imunitário da mãe faz uma produção rápida e maciça de anticorpos de um tipo diferente, que atravessam a placenta e se ligam aos glóbulos vermelhos fetais. Estes glóbulos vermelhos são então destruídos pelo sistema imunitário do feto ou do recém-nascido, o que, entre outros problemas, dá origem a um aumento de bilirrubina no sangue. 

A incompatibilidade ABO é mais frequente e de menor gravidade do que a incompatibilidade Rh.