Voltar

Treino ortostático

Estima-se que 42% das pessoas que atingem os 70 anos de idade tenham pelo menos um desmaio ao longo da sua vida. A causa mais frequente destes desmaios é a síncope reflexa (que inclui a síncope vasovagal).

A síncope vasovagal é um desmaio que se caracteriza por uma desregulação intermitente dos reflexos cardiovasculares responsáveis pela manutenção da circulação sanguínea. Surge no contexto de emoções ou de ortostatismo (posição de pé) prolongado e resulta de uma queda súbita da pressão arterial e/ou da frequência cardíaca, com diminuição consequente da perfusão sanguínea cerebral e perda de conhecimento. Um exemplo desta situação é o desmaio dos soldados em parada.

Na maioria dos casos, os episódios de desmaio são únicos ou raros, mas há doentes com episódios muito frequentes, que podem resultar em depressão ou lesões físicas, como fraturas ou traumatismos cranianos.

O teste de inclinação (tilt test) é um exame de diagnóstico utilizado na determinação da causa dos desmaios e que permite a reprodução, em meio hospitalar, das síncopes reflexas. Ao realizar testes de inclinação sucessivos verificou-se que havia uma tendência para a normalização da resposta a este exame. Esta constatação levou à proposta do treino ortostático (tilt training) como medida terapêutica para a síncope vasovagal.

Do ponto de vista prático, os doentes submetidos a treino ortostático são doentes com episódios frequentes de síncope ou pré-síncope vasovagal, frequentemente documentada com um teste de inclinação positivo.

O treino ortostático consiste na realização de sessões sucessivas de ortostatismo até que o doente consiga perfazer 30 minutos em pé sem queixas e sem alterações significativas da frequência cardíaca e da pressão arterial. Inicialmente as sessões são realizadas em ambiente hospitalar, com monitorização contínua da pressão arterial e eletrocardiograma. O doente é colocado numa mesa basculante, permanece deitado de costas durante alguns minutos e, posteriormente, a mesa é inclinada durante 30 minutos ou até ao aparecimento de queixas, queda da pressão arterial e/ou da frequência cardíaca. Uma vez atingida a meta dos 30 minutos, o doente passa a realizar este período de tempo numa sessão de treino ortostático diária em casa.

O treino ortostático é um tratamento de realização fácil, não invasivo e sem efeitos secundários, que poderá constituir um importante contributo para o controlo dos doentes com síncopes vasovagais frequente, desde que motivados a completar o programa de treino.