Manometria esofágica

O que é e como é realizada uma manometria esofágica?

Uma manometria esofágica é um exame que tem como finalidade avaliar a capacidade e força da contração muscular dos esfíncteres esofágicos superior e inferior e do corpo do esófago, bem como a normalidade dos movimentos do esófago.

A manometria esofágica é realizada com o doente deitado. É introduzida através das narinas ou da boca uma sonda fina com sensores, que está ligada a um equipamento de registo de pressões e a um monitor onde são visualizados gráficos que traduzem os movimentos do esófago consequentes a manobras pedidas ao paciente durante o exame, como por exemplo engolir. Assim, torna-se possível conhecer a funcionalidade dos músculos e esfíncteres esofágicos. A prova não é dolorosa, não sendo necessário qualquer tipo de sedação.

Em que situações é realizada?

A decisão sobre a necessidade de realizar qualquer exame é sempre tomada pelo médico, em função das características individuais de cada paciente e das suas queixas ou doença.

Em regra, pode ser indicada a realização de uma manometria esofágica para diagnóstico diferencial de algumas doenças, quando se pretende identificar a causa de pirose (azia), dificuldades de deglutição ou dor torácica e ainda quando se pretende determinar a eficácia de uma intervenção cirúrgica anterior.

Que limitações tem?

A manometria esofágica é uma técnica que pode falhar lesões e diagnósticos, mesmo com um exame tecnicamente adequado.

Quando tempo demora?

A realização de uma manometria esofágica demora em média cerca de vinte minutos.

Existem efeitos secundários, riscos ou complicações associados à realização de uma manometria esofágica?

A manometria esofágica não tem efeitos secundários, riscos ou complicações. Depois da prova pode ser percetível um ardor na garganta, que não tem gravidade e se resolve rapidamente.