Voltar

Cancro e risco familiar

O cancro é uma doença comum na população em geral. Estima-se que, no ocidente, uma em cada três pessoas venha a sofrer de cancro ao longo da sua vida. Para alguns tipos de cancro, os fatores ambientais são claramente predominantes, como é o caso da relação entre o papilomavirus e o cancro do colo do útero, ou entre o tabaco e o cancro do pulmão.

Quando vários membros de uma família têm o mesmo tipo de cancro, é natural que se valorizem os fatores genéticos, já que a história familiar pode refletir a presença na família de uma mutação genética num gene predisponente, que confere um risco elevado para um ou mais tipos de cancro.

Um padrão de agregação familiar de cancro pode também evidenciar uma predisposição familiar para determinado cancro, relacionada simultaneamente com fatores genéticos (vários genes atuando cumulativamente) e fatores ambientais (conhecidos ou desconhecidos, igualmente cumulativos).