Voltar

Glaucoma

O glaucoma é uma doença progressiva do nervo óptico caracterizada por:

  • Diminuição da camada de fibras nervosas da retina;
  • Alterações do aspeto da papila do nervo óptico;
  • Perda de campo visual;
  • O glaucoma está associado com frequência a uma pressão intraocular alta. A pressão intraocular é uma das causas mais importantes do glaucoma e é o fator que é possível controlar mais eficazmente. Contudo, há glaucomas que não estão associados a uma pressão intraocular alta, que são designados glaucomas de pressão normal;

O glaucoma é uma doença frequente e muitas vezes não diagnosticada. Nestas circunstâncias, e quando não é tratado, constitui uma as causas mais importantes de cegueira. A maioria dos glaucomas pode ser tratada e controlada com um tratamento médico ou cirúrgico.

O nervo óptico

O nervo óptico é constituído por fibras nervosas de todas as células ganglionares da retina. Transporta a informação sensorial captada pela retina e transmite-a ao cérebro. O nervo óptico é a única estrutura que atravessa a parede do olho, além de pequenos vasos e nervos. O início do nervo óptico dentro do olho é visível diretamente e chama-se papila do nervo óptico ou disco óptico. As fibras nervosas do nervo óptico são suportadas por estruturas da parede do olho (a lâmina cribosa) e fora do olho por uma bainha fibrosa e por septos dessa bainha. A irrigação da papila do nervo óptico depende da circulação intraocular.

A pressão ocular

O olho é uma estrutura aproximadamente esférica com uma parede flexível formada pela córnea e pela esclera. A forma constante do olho é conseguida através de uma pressão interna criada por um líquido chamado humor aquoso. O humor aquoso é produzido atrás da íris e sai do olho através do ângulo da câmara anterior. A parede do olho mantém o volume intraocular constante. Assim, a pressão intraocular depende do equilíbrio entre a quantidade de humor aquoso produzido e a quantidade de humor aquoso que deixa o globo ocular. Quando a pressão ocular é superior a 22 mmHg existe hipertensão ocular. Quando maior esta for, maior é a probabilidade de o nervo óptico perder fibras nervosas, ou seja, maior é a probabilidade de ocorrência de glaucoma. Grande parte dos casos de hipertensão ocular acontece em consequência de um aumento da resistência à drenagem do humor aquoso para fora olho.

Tipos de glaucoma

Nos adultos, existem dois grandes grupos de glaucoma: o glaucoma de ângulo fechado (ou glaucoma agudo) e o glaucoma de ângulo aberto (ou glaucoma crónico).

  • No glaucoma de ângulo fechado, ou glaucoma agudo, a íris oclui o ângulo da câmara anterior e impede a drenagem do humor aquoso. A pressão intraocular sobre em poucas horas e os sintomas clínicos são dramáticos, com dor, enjoo, náuseas, vermelhidão do olho, dilatação irregular da pupila e diminuição aguda da visão.
  • No glaucoma de ângulo aberto, ou glaucoma crónico, a obstrução à drenagem do humor aquoso desenvolve-se ao longo dos anos e a pressão intraocular sobre lentamente. Este grupo de glaucomas não tem quaisquer sintomas até ser atingida a fase da evolução em que o campo visual central se altera. Os glaucomas de ângulo aberto são os mais frequentes e dividem-se em vários tipos. O glaucoma de pressão normal evolui como o glaucoma de ângulo aberto, embora sem hipertensão ocular. Julga-se que nestes casos estão presentes alterações da estrutura ou da irrigação do nervo óptico, que o tornam incapaz de suportar a pressão intraocular normal sem sofrer alterações glaucomatosas.

Diagnóstico

O glaucoma de ângulo aberto é a forma mais frequente de glaucoma e não tem sintomas até serem atingidas fases tardias e irreversíveis da doença. O seu diagnóstico só pode ser feito através de observação pelo oftalmologista, com exame direto do nervo óptico, estudo dos campos visuais e medição da pressão intraocular. A medição isolada da pressão intraocular não é suficiente para diagnosticar o glaucoma.

Como referido, existem também glaucomas com pressão intraocular normal e pressões oculares elevadas sem que o nervo óptico sofra alterações glaucomatosas.

Tratamento

A pressão intraocular pode ser controlada com diversos tipos de medicamentos de aplicação local (gotas), usados isoladamente ou em associação. Há também dois tipos de laser que podem ser usados no tratamento do glaucoma agudo (de ângulo fechado) e no glaucoma crónico simples. Finalmente, existem diversas técnicas cirúrgicas que permitem aumentar a drenagem do humor aquoso e diminuir a pressão intraocular. Em qualquer caso, o doente tem que ser seguido regularmente pelo oftalmologista.

 

Nos hospitais e clínicas da rede Hospital da Luz, pode encontrar médicos oftalmologistas especialistas no diagnóstico e tratamento das doenças dos olhos e realizar os exames necessários para a sua situação. Conheça os médicos especialistas em oftalmologia desta unidade da rede Hospital da Luz