Comissão de Transfusões e Alternativas Transfusionais

Constituição:

José Roquette (Cirurgia Cardiotorácica)
Arnaldo Conceição (Enfermagem)
Fátima Nascimento
Francisco Soares (Departamento de Imunohemoterapia)
Manuela Gomes
Maria Isabel Pimentel (Anestesiologia)
Susana Coelho (Medicina Interna)


Funções:

Compete à Comissão de Transfusões e Alternativas Transfusionais (COTAC) asessorar a Direção Clínica do Hospital na gestão, implementação e fiscalização das políticas de transfusão de sangue e seus derivados e na promoção e implementação de alternativas transfusionais. 

Compete ainda à COTAC:

  • Assegurar que as orientações sobre a utilização clínica do sangue e dos seus produtos são elaboradas pela Comissão multidisciplinar, em consulta com outras partes envolvidas no processo de transfusão; 
  • Auditar a adesão a políticas e procedimentos relativos a todo o processo trasfusional;
  • Promover a criação de estruturas apropriadas para a implementação de um sistema de gestão da qualidade para a utilização clínica do sangue e dos seus produtos;
  • Definir os indicadores de gestão do processo transfusional;
  • Monitorizar a atividade transfusional e a utilização de alternativas transfusionais, implementar medidas de melhoria e avaliar o seu resultado;
  • Notificar eventos adversos resultantes da administração de sangue e seus derivados e tornar disponível um sistema de informação sobre eventos relacionados com a cadeia transfusional ocorrida no hospital, estabelecendo um esquema de hemovigilância, e permitindo identificar as causas, de modo a corrigi-las ou preveni-las;
  • Colaborar com as demais comissões do Hospital da Luz Lisboa, nomeadamente prestando assessoria nas matérias da medicina transfusional e de alternativas transfusionais;
  • Promover um programa institucional de educação e de formação para a utilização clínica do sangue e dos seus produtos;
  • Incentivar os estudos sobre a utilização clínica do sangue e dos seus produtos através da recolha e comparação de indicadores de utilização a nível nacional e internacional;
  • Incentivar a utilização de alternativas à transfusão de sangue e desenvolver estratégias preventivas para reduzir a perda sanguínea;
  • Trocar experiências com outros hospitais, nacionais e estrangeiros, e com o Instituto Português de Sangue;
  • Propor medidas para eliminar o desperdício e perda de sangue e seus produtos devido a razões técnicas;
  • Integrar e implementar os requisitos legais em medicina transfusional;
  • Assegurar o cumprimento das indicações da Organização Mundial de Saúde no que respeita a patient-safety, nomeadamente através da prevenção de efeitos adversos, diminuição das suas consequências e visibilidade da sua ocorrência;
  • Elaborar o Plano Anual da COTAT e o seu relatório de atividades.