Cirurgia da obesidade

O objetivo geral do tratamento da obesidade é reduzir o peso corporal o suficiente para que este deixe de representar um risco para a saúde.

Na generalidade dos casos, o tratamento da obesidade envolve alterações relacionados com o tipo de alimentos, a confeção das refeições, o padrão das refeições e a prática de atividade física, associadas, com frequência, a um competente acompanhamento psicológico. Aos medicamentos é atribuído um papel complementar e a cirurgia da obesidade é reservada para casos graves ou para situações em que estão presentes complicações que colocam a vida em risco.

As operações para o tratamento da obesidade resultam em perda de peso através de dois mecanismos:

  • uma redução da capacidade de ingestão de alimentos – procedimentos cirúrgicos restritivos;
  • uma alteração do processo de digestão com redução da absorção - procedimentos cirúrgicos indutores de malabsorção.

Os procedimentos que simultaneamente reduzem a ingestão e alteram a digestão/absorção designam-se procedimentos mistos, tal como é o caso do bypass gástrico em Y de Roux.

  • Bypass gástrico em Y de Roux

    BypassgastricoEntre as operações indicadas atualmente para cirurgia da obesidade, ou cirurgia bariátrica, o bypass gástrico em Y de Roux é a preferida nos centros especializados e que se dedicam especialmente ao tratamento desta doença.

    No bypass gástrico, é criada uma pequena bolsa gástrica para que ocorra uma limitação da capacidade de ingestão. Esta bolsa é depois ligada ao intestino delgado na região do jejuno, o que tem consequências importantes na absorção. Assim, o bypass gástrico intervém na diminuição do peso corporal através de dois mecanismos principais:

    | A diminuição da capacidade de ingestão de alimentos

    | Uma alteração do processo de digestão com redução da absorção

    O bypass gástrico em Y de Roux tem como efeito secundário intencional a síndrome de dumping, sendo assim desencorajada a ingestão de alimentos com teor elevado de gordura e açúcar, que provocam sintomas desagradáveis.

    Os resultados deste procedimento são muito bons, sobretudo quando comparados com os dos procedimentos puramente restritivos.

  • Cirurgia robótica no bypass gástrico

    Desde o início, o bypass gástrico é realizado no Hospital da Luz Lisboa por cirurgia minimamente invasiva. Mais recentemente, a partir de 2010, passou também a ser possível realizar esta intervenção por cirurgia robótica.

    Comparado com a técnica laparoscópica tradicional, o bypass gástrico em Y de Roux realizado por cirurgia robótica tem as seguintes vantagens potenciais:

    | A maior precisão das suturas manuais facilita a adoção de anastomoses gastrojejunais manuais calibradas que poderão conduzir a um aumento da segurança e da eficácia do procedimento
    | Toda a intervenção se realiza com melhor imagem, maior ergonomia e maior liberdade de movimentos, com a correspondente melhoria no desempenho do cirurgião e o consequente aumento da segurança para o doente
    | Em doentes super-obesos, não se observará o habitual agravamento da dificuldade técnica pelas seguintes razões:

    • A utilização de instrumentos extra-longos (necessários nestes doentes) pelo robot não diminui a precisão de controlo dos mesmos, ao contrário do que acontece com o manuseamento humano direto de instrumentos muito compridos 
    • A resistência que uma parede abdominal muito espessa e pesada oferece aos movimentos do cirurgião é irrelevante quando os instrumentos são manipulados pelo robot