Prótese peniana

A prótese peniana é um dispositivo médico que permite obter a rigidez peniana necessária para o coito.

A colocação de uma prótese peniana é o tratamento cirúrgico da disfunção erétil, opção que pode ser escolhida quando não se obteve sucesso com terapêuticas menos invasivas.

A prótese peniana também é usada no tratamento da curvatura peniana associada à disfunção erétil, permitindo tratar os dois problemas em simultâneo.

  • Tipos de prótese peniana

    Existem dois tipos de prótese peniana, a prótese maleável e a prótese hidráulica.

    Prótese maleável

    A prótese maleável constituída por dois cilindros protésicos e não necessita de manipulação para obter a ereção. O pénis está sempre erecto, sendo possível orientá-lo na direção desejada.

    Prótese hidráulica

    A prótese hidráulica é constituída por dois elementos (cilindros e bomba) ou três elementos (cilindros, bomba e reservatório).

    Tem uma taxa de satisfação associada superior à prótese maleável pois permite que o pénis esteja flácido na maior parte do tempo e apenas obter ereção durante a relação sexual após manipulação da bomba que fica localizada no escroto.

    Através da manipulação desta bomba, o doente pode obter a ereção desejada para a atividade sexual durante o período de tempo que necessitar para ter uma relação sexual satisfatória para si e para a parceira. No final da relação, novamente através da manipulação da bomba, os cilindros protésicos são esvaziados e o pénis retorna à flacidez normal.

  • Cirurgia para colocação de prótese peniana

    A colocação de próteses penianas deve ser realizada em centros com diferenciação nesta área.

    A cirurgia demora cerca de uma hora, sendo os componentes da prótese colocados através de uma pequena incisão no escroto. Em geral o pós-operatório é bem tolerado e a alta hospitalar é realizada em menos de 24 horas.

    A cirurgia para colocação de prótese peniana não tem riscos importantes associados. Em menos de 1% dos casos pode ocorrer infeção, com eventual necessidade da remoção precoce da prótese. Há relatos de casos raros e tardios (vários meses ou anos após a colocação da prótese) de infeção da prótese com necessidade da sua remoção, erosão da uretra ou da glande pela prótese (mais frequente com prótese maleável) ou mau funcionamento mecânico da bomba com necessidade de substituição de componentes  (da prótese hidráulica).

    Uma boa recuperação após a alta obriga a que sejam evitados esforços durante cerca de uma semana e inclui a adoção de algumas medidas como a aplicação e gelo, o uso de contenção elástica e outras, por exemplo farmacológicas, determinadas pelo médico e adequadas a cada caso. 

    A prótese peniana não interfere com as atividades da vida diária, nem implica restrições
    especiais. O doente pode trabalhar normalmente, viajar ou praticar desporto. Nas primeiras semanas decorre a fase de adaptação do corpo à prótese, podendo
    existir algum desconforto que é transitório.

    A prótese peniana não tem um tempo de duração definido, podendo a mesma prótese funcionar normalmente durante toda a vida do doente.