Áreas de apoio ao centro de oncologia

Áreas de apoio ao centro de oncologia

Além das especialidades mais envolvidas no diagnóstico e tratamento, outros profissionais são também determinantes no acompanhamento e apoio aos doentes oncológicos.

  • Apoio de Enfermagem 24 horas / 365 dias
    Apoio de Enfermagem 24 horas / 365 dias

    Na equipa multidisciplinar do Centro de Oncologia, a equipa de enfermagem desenvolve a sua intervenção também em parceria com os doentes e suas famílias, tendo em conta os aspetos físicos, espirituais e socioculturais ligados à doença.

    A consulta de enfermagem é o primeiro passo do acompanhamento destes profissionais aos doentes que realizam quimioterapia. Esta consulta é realizada pelo enfermeiro que acompanhará o doente ao longo do tratamento e a quem este pode recorrer sempre que necessitar. Será também este enfermeiro o principal interlocutor do doente durante o tratamento e que o poderá ajudar sempre que necessite de informação ou apoio sobre os efeitos secundários, de conhecer melhor estratégias para os minimizar, ou de ajuda para gerir preocupações ou dúvidas sobre o tratamento.

    A equipa de enfermagem está também disponível por via telefónica direta 24 horas por dia / 365 dias.

    Telefone:

    • Dias úteis, das 9h00 às 18h00: 217 104 454 
    • Restantes dias e horários: 967 872 983

  • Apoio Nutricional
    Apoio Nutricional

    As doenças oncológicas alteram a utilização normal dos nutrientes pelo organismo. Por isso, muitos doentes oncológicos têm alguma perda de pesa ou desnutrição associada à doença. O acompanhamento nutricional tem como objetivo garantir que, em cada caso, o doente faz uma dieta saudável e equilibrada.

    Os efeitos mais comuns dos tratamentos oncológicos que podem afetar negativamente a ingestão, digestão a absorção dos nutrientes são:

    • Alteração do paladar e do olfato
    • Diminuição do apetite
    • Náuseas e vómitos
    • Dor abdominal
    • Diarreia
    • Lesões da boa e dentes
    • Secura da boca
    • Dor e dificuldade na deglutição
    • Lesões do esófago
    • Depressão e ansiedade

    Sabe-se atualmente que uma dieta correta em todas as fases da doença oncológica tem influência na evolução da doença, contribui para a melhoria dos sintomas associados à doença e ao seu tratamento, diminui a taxa de infeções e complicações pós-operatórias, reduz o tempo de hospitalização e melhora a resposta ao tratamento e a resposta imunitária dos doentes. 

    O apoio nutricional deve ser individualizado, tendo em conta o estado nutricional do doente, os sintomas, os tratamentos, a função gastrointestinal, a capacidade de o doente se alimentar, as preferências e hábitos pessoais, o prognóstico e o objetivo terapêutico. 

    O aconselhamento individual nutricional do grupo multidisciplinar de nutrição do Hospital da Luz Lisboa envolve a prescrição de dietas terapêuticas recorrendo a alimentos correntes, conjungados ou manipulados, a administrar por diversas vias, com o objetivo de compensar carências alimentares e a conseguir cobrir ss necessidades individuais. 

  • Reabilitação
    Reabilitação

    O trabalho da equipa do Departamento de Medicina Física e de Reabilitação que se dedica aos doente oncológicos é fundamental para uma melhor qualidade de vida.

    A cirurgia oncológica e os tratamentos de quimioterapia e de radioterapia têm um grande impacto físico e psicológico. A Medicina Física e de Reabilitação procura minimizar as sequelas daqueles tratamentos e eliminar de uma forma mais rápida as queixas mais comuns que interferem as rotinas dos doentes.

    Em muitos casos, é possível delinear um programa de reabilitação personalizado que ajude a maximizar a independência dos auto-cuidados, melhore a capacidade cardiopulmonar, recupere a mobilidade articular e a força muscular, contribua para controlar a dor ou mesmo ajude a ultrapassar as etapas que se seguem de tratamentos oncológicos.

    Entre as doenças oncológicas que, mais frequentemente, necessitam de reabilitação estão:

    • Cancro do pulmão
    • Cancro da mama
    • Cancro do sistema nervoso central
    • Cancro ósseo

  • Psico-Oncologia e grupos de suporte
    Psico-Oncologia e grupos de suporte

    O apoio dos psicólogos e enfermeiros aos doentes oncológicos é também dado através da organização de grupos de apoio específicos para diversas doenças, que visam contribuir para uma melhor qualidade de vida dos doentes oncológicos.

    As sessões do grupo de apoio para mulheres com cancro da mama são semanais, durante cinco semanas, e os grupos incluem, no máximo, dez doentes. Nestas sessões são abordados os efeitos físicos, psicológicos e sociais relacionados com o cancro da mama e o seu tratamento e procura-se criar um espaço que propicie o diálogo e a manifestação dos sentimentos. Além do apoio dado pelos profissionais, a possibilidade de diálogo e partilha de experiências entre doentes que vivem problemas semelhantes ajuda a superar as dificuldades impostas pela doença.

  • Farmácia
    Farmácia

    Os Serviços Farmacêuticos do Hospital da Luz Lisboa têm uma unidade especializada para preparação de medicamentos (citostáticos) usados em quimioterapia.

    Em estreita colaboração com a Oncologia Médica e com o Hospital de Dia Médico, os Serviços Farmacêuticos do Hospital da Luz Lisboa validam as prescrições médicas, preparam as misturas de fármacos citotóxicos em condições de segurança e esterilidade, seguem os tratamentos de quimioterapia, de modo a garantir a segurança e eficácia do tratamento e a prevenir potenciais efeitos adversos e contribuem para esclarecer quaisquer dúvidas dos doentes relativamente à sua medicação.

    Integrando a Comissão de Oncologia, os Serviços Farmacêuticos são também responsáveis pela produção, implementação e cumprimento de protocolos na área da oncologia.

  • Cuidados Paliativos
    Cuidados Paliativos

    Os cuidados paliativos são um sinal de modernidade e um avanço científico e devem fazer parte dos serviços propostos aos doentes oncológicos.

    Está bem estabelecido atualmente que intervenção dos cuidados paliativos não se restringe ao final da vida, devendo sim iniciar-se precocemente, nomeadamente no curso das doenças oncológicas, casos em que habitualmente há maior necessidade de controlo da dor.

    No Hospital da Luz Lisboa, o trabalho conjunto da Unidade de Cuidados Paliativos e do Centro de Oncologia traduz-se numa prática clínica mais humanizada e de maior qualidade para os doentes. O acompanhamento de cuidados paliativos ao longo dos tratamentos oncológicos contribui para um apoio global e proporciona cuidados de saúde rigorosos e humanizados que contribuem para o conforto, dignidade e qualidade de vida dos doentes.

    A Unidade de Cuidados Continuados e Paliativos tem uma consulta externa para doentes em ambulatório e presta apoio ao internamento da unidade e também às restantes unidades de internamento do hospital sempre que para tal é solicitada pelos médicos assistentes, pelos doentes ou pelos seus familiares. 

    Em Setembro de 2013 a Unidade de Cuidados Paliativos do Hospital da Luz certificada pela European Society of Medical Oncology (ESMO) como unidade de referência na prática integrada de cuidados paliativos e oncologia.

  • Medicina Interna
    Medicina Interna

    Além do contacto regular com a equipa do Centro de Oncologia que faz o acompanhamento da sua doença, os doentes oncológicos podem ter problemas que justificam o recurso a cuidados médicos de urgência. 

    O Atendimento Médico Permanente do Hospital da Luz Lisboa está preparado para acolher doentes oncológicos. Uma vez definidas as necessidades do doente oncológico admitido pela equipa médica de serviço, a Medicina Interna assume os cuidados a prestar a esse doente, em colaboração prioritária com o médico do Centro de Oncologia responsável pelo doente e também em articulação com outros especistas cuja intervenção se revele necessária.

    A formação abrangente dos especialistas em Medicina Interna confere-lhes uma capacidade ímpar para intervir em praticamente todos os problemas médicos e para assumir a responsabilidade do acompanhamento dos doentes, numa perspetiva multidisciplinar e polivalente, procurando, sempre que necessário, a colaboração de outras especialidades ou referenciando-lhe os doentes. A intervenção da Medicina Interna estende-se assim desde a medicina preventiva, aos cuidados a doentes agudos em situações de emergência e aos cuidados paliativos em doenças crónicas.