O que é e qual a sua importância na população

O cancro que se desenvolve no cólon ou no reto, pelas suas numerosas características comuns, é muitas vezes designado cancro colorretal. Apesar de ser um dos mais fáceis de prevenir, o cancro colorretal é a segunda causa de morte por cancro no mundo ocidental. A probabilidade de uma pessoa desenvolver um cancro coloretal ao longo da vida é de 6% e cerca de 1 em cada 20 pessoas contrairá a doença. Estima-se que 14% de todos os cancros diagnosticados anualmente se localizem no cólon ou no reto; 40 a 50% dos doentes com cancro colorretal morrem em consequência da doença.

A frequência de cancro do cólon e do reto está a aumentar, encontrando-se de alguma forma relacionada com o desenvolvimento sócio-económico. A prevalência da doença é maior em países mais industrializados, como nos EUA e na Europa Ocidental, e menor em África ou na América do Sul. Em Portugal, o número de diagnósticos anuais tem registado um crescimento exponencial, sendo responsável por elevada mortalidade. Estima-se que 3% a 4% dos indivíduos, tanto do sexo masculino como do feminino, desde o nascimento até aos 70 anos de idade, serão atingidos por cancro do cólon e do reto, situando-se o pico máximo de incidência na sexta década da vida (> 50 anos).