Depois da Intervenção Cirúrgica

A maioria das intervenções cirúrgicas de tratamento da obesidade tem uma duração variável entre uma e cinco horas. Passado o período de recuperação da anestesia, alguns doentes poderão necessitar de monitorização na unidade de cuidados intensivos, mas a maioria voltará para o seu quarto.

Na maioria dos casos os doentes recuperam da intervenção cirúrgica sem qualquer complicação. Embora se possam sentir fisicamente debilitados, é imprescindível que se levantem da cama e comecem a andar no primeiro dia depois da operação, de modo a evitar as complicações pós-operatórias associadas à imobilidade.

Em circunstâncias normais, o período de internamento no hospital varia entre um e cinco dias (dependendo da intervenção cirúrgica realizada e da via de acesso escolhida, por via laparoscópica ou por via aberta); seguem-se duas a quatro semanas de recuperação em casa. Normalmente os doentes são aconselhados a não conduzir e a não pegar em objetos pesados durante as primeiras duas semanas depois da intervenção.

  • Alterações Alimentares Imediatas

    No primeiro ou no segundo dia depois da intervenção cirúrgica, ainda no hospital, os doentes começam a beber quantidades pequenas de sumo ou de água, sendo aumentada progressivamente a frequência com que estes líquidos são fornecidos. Posteriormente, o regime alimentar é iniciado com uma dieta líquida, que passa sucessivamente para uma dieta pastosa (dieta de alimentos passados e/ou papas), para uma dieta mole (dieta de alimentos moles) e, finalmente para a dieta normal. A duração de cada uma destas fases será determinada pelo cirurgião e pela nutricionista.

    Em regra, aconselha-se a adoção de cinco a seis refeições diárias, de quantidade reduzida, procurando assegurar as necessidades proteicas e de outros nutrientes essenciais e limitar a incorporação de doces e gorduras. É necessário que os alimentos sejam ingeridos lentamente e em quantidade moderada, pois quando a ingestão é muito rápida ou excessiva podem ocorrer vómitos e dor abdominal. De uma forma geral, os doentes aprendem rapidamente qual é a quantidade de alimento que suportam ingerir e a mastigar os alimentos de uma forma completa e pausada antes de os engolir. 

    No caso dos doentes submetidos a um procedimento indutor de malabsorção, depois da intervenção cirúrgica será iniciada uma suplementação vitamínica e mineral regular e o teor de alguns destes elementos no organismo será monitorizado periodicamente. Na altura da alta são dadas aos doentes as instruções relativas aos cuidados a ter em casa, nomeadamente no que se refere ao regime alimentar.

  • Iniciar a Atividade Física

    Além da necessidade de andar diariamente a partir do dia seguinte à intervenção cirúrgica, cerca de dois meses depois desta a maioria dos doentes está apta para começar a seguir um programa regular de atividade física.

  • Acompanhamento e Apoio Psicológico

    Nalguns doentes poderá também ser necessário um acompanhamento psicológico individual depois da intervenção cirúrgica. Com efeito, embora a incidência de estados depressivos nestes doentes diminua depois da operação, as flutuações de humor durante os primeiros meses são comuns e a necessidade de introduzir alterações profundas nos hábitos e estilo de vida pode constituir um fator de stress adicional e contribuir para situações de depressão.

    Alternativamente ou simultaneamente ao acompanhamento psicológico individual, os doentes submetidos a um tratamento cirúrgico da obesidade podem ser integrados, caso o pretendam, em grupos de apoio, com as vantagens globais inerentes à convivência e à partilha de experiências entre indivíduos que se encontram em circunstâncias e com problemas que podem ter pontos comuns. Estes grupos podem integrar, além dos doentes, diversos profissionais (por exemplo, um nutricionista e um psicólogo, ou outros). O objetivo dos grupos de apoio é esclarecer questões e preocupações do período pós-operatório e, mais tarde, fornecer o apoio necessário na luta pela manutenção dos resultados, isto é, na luta a longo prazo contra a recuperação do peso perdido.

  • Consultas de Follow-Up no Centro de Tratamento da Obesidade do Hospital da Luz

    Em geral, a primeira consulta com o médico que realizou a operação será marcada para quatro semanas depois desta, seguindo-se outra dois meses depois, isto é, passados três meses da operação.

    As visitas posteriores realizam-se a cada três meses até ao final do primeiro ano, a cada seis meses durante o segundo e terceiro anos de pós-operatório e anualmente a partir do quarto ano.

    Cada uma destas visitas incluirá uma avaliação clínica completa, o registo da história clínica ao doente e é realizado o seu exame físico. No caso dos doentes submetidos a procedimentos indutores de malabsorção e a procedimentos mistos, realiza-se também, sempre, um conjunto de análises de sangue que permite determinar o estado nutricional em cada momento.