Operações para Tratamento da Obesidade

As operações para o tratamento da obesidade resultam em perda de peso através de dois mecanismos:

  • Por redução da capacidade de ingestão de alimentos – procedimentos cirúrgicos restritivos; 
  • Por alteração do processo de digestão com redução da absorção - procedimentos cirúrgicos indutores de malabsorção. 

Os procedimentos que simultaneamente reduzem a ingestão e alteram a digestão/absorção designam-se procedimentos mistos.

  • Escolher a Operação

    A escolha do procedimento cirúrgico que deverá ser realizado num determinado doente depende das especificidades da doença e das características individuais do doente.

    Caso existam várias opções, esta escolha terá ainda em consideração a preferência do doente, as características de invasibilidade do procedimento e a experiência da equipa cirúrgica. Contudo, em circunstância alguma a escolha da intervenção poderá ser limitada pela maior experiência da equipa cirúrgica num determinado procedimento. Por exemplo, a colocação de uma banda gástrica num consumidor de açucares (sweet eater) ou num super-obeso não é, regra geral, uma boa indicação.

    Torna-se assim fundamental em qualquer programa de tratamento cirúrgico da obesidade que a equipa cirúrgica possua uma ampla experiência nos diversos procedimentos cirúrgicos de tratamento da obesidade.

  • A Experiência do Hospital da Luz

    No Centro de Tratamento da Obesidade do Hospital da Luz cada doente é único!

    Por isso, o procedimento cirúrgico adotado tem em conta as especificidades da doença e as características individuais de cada doente. Dito de outra forma, a operação indicada, entre as disponíveis, é a adequada à circunstância concreta do doente e da sua doença; nunca é o doente que se adapta, seja qual for a situação, à operação disponível.

    A equipa cirúrgica do Centro de Tratamento da Obesidade do Hospital da Luz possui uma vasta experiência de todos os procedimentos cirúrgicos recomendados atualmente para o tratamento da obesidade e realiza-os por via minimamente invasiva e também por cirurgia robótica.

     

  • Procedimentos Restritivos

    Nos procedimentos restritivos é reduzido o volume do estômago, o que implica uma diminuição da capacidade de ingestão de alimentos, sendo atingida consequentemente uma saciedade mais precoce.

    Nestes procedimentos não é induzida qualquer alteração do processo de digestão/absorção, pelo que além da sua simplicidade técnica, têm o benefício de evitar possíveis deficiências associadas a problemas de absorção de ácidos aminados essenciais, minerais e vitaminas e de não exigir a utilização de suplementos nutricionais.

    Nestes procedimentos tornam-se imprescindíveis alterações importantes a nível dos hábitos alimentares, pois a ingestão de líquidos, de semilíquidos (deformáveis) ou de alimentos pastosos não é inibida. Apenas a ingestão de volumes sólidos (não deformáveis) é restringida, pelo que a taxa de insucesso pode ser elevada no caso de incumprimento por parte do paciente.

    Embora os procedimentos restritivos permitam na maioria dos casos perder uma quantidade de peso corporal importante, o seu êxito a longo prazo é inferior ao dos procedimentos mistos e indutores de malabsorção. 

    Atualmente destacam-se como mais importantes neste grupo a banda gástrica ajustável e a gastrectomia em sleeve, realizadas normalmente por via laparoscópica.

  • Procedimentos Indutores de Malabsorção

    Nestes procedimentos é excluída do processo digestivo uma parte significativa do intestino delgado, que inclui o duodeno, o jejuno e parte do íleo, pelo que a perda de peso se deve a uma redução da absorção dos alimentos, sem grande alteração das quantidades ingeridas. Assim, o sucesso destes procedimentos não tem uma dependência tão grande do cumprimento de regras de alimentação por parte dos doentes como os procedimentos restritivos.

    Os procedimentos indutores de malabsorção acarretam maior risco de carências nutricionais uma vez que ao excluir do processo digestivo o duodeno e o jejuno, a superfície disponível para absorção é menor e a ação da secreção pancreática e da secreção biliar é impedida. Em consequência, observa-se uma redução da absorção das gorduras e hidratos de carbono mas também do ferro, cálcio, vitaminas e muitos outros compostos.

    Os doentes submetidos a estas intervenções terão que receber suplementos vitamínicos e minerais durante toda a sua vida de modo a prevenir as possíveis carências.

    Os procedimentos indutores de malabsorção têm a vantagem de conseguir uma perda de peso elevada sem condicionar de forma importante a ingestão alimentar.

    Atualmente destacam-se como mais importantes neste grupo a derivação biliopancreática por operação de Scopinaro e a derivação biliopancretática por switch duodenal; ambas envolvem simultaneamente algum grau de redução gástrica.

     

  • Procedimentos Mistos

    Estes procedimentos associam uma diminuição da capacidade de ingestão de alimentos a alterações ao nível da sua digestão e absorção.

    Atualmente destaca-se como mais importante neste grupo o bypass gástrico em Y de Roux.