Procedimentos Mistos - Bypass Gástrico

O bypass gástrico em Y de Roux é a operação preferida na grande maioria dos centros especializados e especialmente dedicados ao tratamento cirúrgico da obesidade no mundo ocidental, nomeadamente, na Europa e nos Estados Unidos da América. É considerado como o gold standard do tratamento cirúrgico da obesidade.

Bypassgastrico

O bypass gástrico em Y de Roux associa um componente restritivo importante a uma alteração da digestão/absorção mais ligeira do que a dos procedimentos indutores de malabsorção.

No bypass gástrico em Y de Roux é criada uma pequena bolsa gástrica, com 15 a 30 mL de capacidade, que tem como objetivo limitar de uma forma importante a capacidade de ingestão. Esta bolsa é ligada ao intestino delgado na região do jejuno, ultrapassando assim apenas o duodeno, pelo que a ação das secreções pancreática e biliar é impedida, embora a extensão de intestino delgado afastada do processo de digestão/absorção seja substancialmente inferior à das técnicas indutoras de malabsorção.

O bypass gástrico em Y de Roux tem como efeito secundário intencional a síndrome de Dumping, sendo assim desencorajada a ingestão de alimentos com teor elevado de gordura e açúcar, que provocam sintomas desagradáveis.

Uma vez que a bolsa gástrica é de dimensão muito reduzida torna-se bastante importante o volume (cerca de metade de uma chávena de chá) e a frequência das refeições (quatro a seis por dia). Os alimentos devem ser tomados em pequenas porções, espaçadas de alguns minutos, perfeitamente mastigadas e engolidas lentamente. A ingestão rápida ou de quantidades excessivas pode resultar em desconforto ou vómitos.

Assim, com esta intervenção, a perda de peso não fica dependente de um único mecanismo, uma vez que é induzida por, pelo menos, três:

  • A redução da ingestão 
  • A redução da absorção 
  • A síndrome de Dumping 

É possível, mas ainda objeto de investigação, a atuação de um quarto mecanismo de natureza hormonal, não completamente esclarecido e que atuaria por via da inibição do apetite.

Os resultados deste procedimento são muito bons, sobretudo quando comparados com os dos procedimentos puramente restritivos. Por outro lado, o comprometimento da absorção de microelementos essenciais é mínimo, e o da absorção de proteínas é nulo; aconselha-se contudo uma suplementação vitamínica vitalícia.

As vantagens desta intervenção cirúrgica incluem:

  • Possibilidade de realização por via laparoscópica 
  • Mais eficaz do que os procedimentos restritivos na redução de peso 
  • Mais eficaz do que os procedimentos restritivos na redução ou eliminação das comorbilidades, sobretudo diabetes e hipertensão arterial 
  • Não é causa de carências nutricionais graves, nomeadamente, carências proteicas 
  • Não é causa de efeitos secundários como diarreia, flatulência ou fezes com cheiro fétido 
  • Não implica qualquer ressecção gástrica, sendo assim reversível 
  • Não exige a colocação de um corpo estranho na cavidade abdominal