Situações Comuns nos Recém-Nascidos

Entre as situações mais comuns nos recém-nascidos incluem-se os seguintes:

  • Bolsar

    O bolsar é a expulsão de leite pela boca, devido ao movimento do conteúdo do estômago em sentido oposto ao normal. Pode acontecer quando o bebé arrota ou espontaneamente. Ocorre em praticamente todos os recém-nascidos e não tem qualquer significado especial, quando as quantidades bolsadas são pequenas. No entanto, se estas forem excessivas, deve ser investigada a causa do bolsar, pois pode levar à aspiração do leite, apneia, bradicardia e pneumonia por aspiração.

    Para que o bebé não tenha tendência a bolsar, deve arrotar a meio e no final das refeições. É também favorável manter a cabeceira do berço ligeiramente elevada.

  • Cólica

    No recém-nascido saudável a cólica é uma situação caracterizada por choro excessivo, associado a sinais de dor, dobrar frequente das pernas em direção à barriga e, por vezes, emissão de gases. As cólicas são recorrentes e entre os seus episódios a criança está confortável. São mais comuns e intensas durante o primeiro trimestre de vida.

    Nesta fase, as cólicas resultam da acumulação de gases no aparelho digestivo ainda imaturo do recém-nascido, que não os consegue eliminar adequadamente. O bebé pode ingerir ar inadvertidamente quando usa a chupeta ou quando mama sofregamente e a boca está mal adaptada ao mamilo ou à tetina, especialmente se tiver o nariz obstruído ou se a tetina não estiver completamente preenchida por leite A distensão intestinal causada pelos gases provoca dor, a qual faz o bebé chorar; durante o choro este ingere mais ar, o que agrava a dor dando continuidade ao choro. Assim, torna-se necessário interromper este ciclo vicioso corrigindo os seus fatores predisponentes.

    Quando um bebé chora muito, depois de excluídas outras causas de dor e concluindo que o choro se deve a cólicas, os pais devem manter-se calmos e tentar ajudar o bebé, adotando algumas medidas e truques, entre os quais:

    • Assegurar que o bebé tem o nariz desobstruído, especialmente durante as mamadas.
    • Otimizar a adaptação da boca do bebé ao mamilo ou à tetina durante as mamadas.
    • Nas mamadas por biberão preencher bem a tetina com leite.
    • Dar ao bebé oportunidade para arrotar a meio e no final das mamadas, mantendo-o em posição vertical.
    • Realizar manobras que ajudem a expulsar os gases presentes no intestino. Para isso massajar cuidadosamente a barriga do bebé, com um creme gordo que facilite o deslizar das mãos. Dobrar suavemente as perninhas do bebé em direção à barriga, de modo a facilitar a expulsão dos gases acumulados. Estas manobras não devem ser realizadas imediatamente a seguir à mamada.
    • Acalmar carinhosamente o bebé, embalando-o, falando ou cantando-lhe suavemente.
    • Introduzir alterações na alimentação da mãe, evitando alimentos que lhe provoquem aerocolia.
    • Para os bebés alimentados com leites adaptados respeitar rigorosamente as doses indicadas para a preparação do biberão.

    Em alguns casos em que se justifique, o pediatra poderá também aconselhar alguma medicação que ajude a acalmar e aliviar as cólicas. Lembre-se sempre que o bebé não sabe o que está a acontecer e que necessita de calma e carinho para o ajudar.

  • Obstrução Nasal

    A obstrução nasal é um problema muito comum e incomodativo para os bebés. Impede que respirem normalmente pelo nariz, o que lhes pode provocar incómodos adicionais, como por exemplo cólicas. O facto de permanecerem deitados durante muito tempo tende a agravar o problema. Uma atmosfera húmida é muitas vezes suficiente para resolver o problema de obstrução nasal. Quando não é possível controlar desta forma a obstrução nasal, ou quando o bebé apresenta outros sintomas, deve ser consultado o pediatra.

  • Eritema das Fraldas

    O eritema das fraldas, dermatite de contacto ou assadura é o aspeto avermelhado, irritado e por vezes com alguma descamação e pequenas feridas na pele das nádegas e órgãos genitais, ou seja na região coberta pelas fraldas. Deve-se à acidez das fezes e da urina, pelo que quanto mais prolongado for o contacto daquela região com a fralda suja, maior será a probabilidade de ocorrer eritema das fraldas. Este pode provocar ardor na região atingida. Assim, é normal que o bebé chore, pareça incomodado ou esteja inquieto, nomeadamente quando é realizada a sua higiene.

    O aparecimento do eritema das fraldas pode ser evitado com medidas de higiene adequadas, nomeadamente:

    • Mudar a fralda sempre que esta esteja suja
    • Lavar e secar bem a região quando se muda a fralda
    • Proteger a pele seca com um creme gordo antes de colocar a fralda limpa

    Estas medidas devem ser reforçadas quando o bebé já tem eritema das fraldas; caso persista deve procurar o médico.

  • Milia

    Designa-se milia a presença de pequenas manchas brancas punctiformes na face do bebé, especialmente no nariz. A milia não tem qualquer significado especial. Não é necessário adotar quaisquer cuidados específicos. Em regra, desaparece espontaneamente passado algum tempo.

  • Urina de Coloração Avermelhada

    Nos primeiros dias de vida a urina do bebé pode deixar um resíduo de coloração vermelha-alaranjada na fralda, que se deve à presença de cristais que são eliminados normalmente na urina dos bebés e que não têm qualquer significado patológico.

    Trata-se de um problema transitório, que desaparece espontaneamente.

  • Eritema Tóxico do Recém-Nascido

    Designa-se por eritema tóxico do recém-nascido a presença de manchas avermelhadas, com 1 a 2 cm de diâmetro, dispersas no corpo do bebé.

    Estas manchas podem ter uma aparência rugosa e por vezes possuem um centro mais claro e vesicular.

    Aparecem em qualquer local do corpo, exceto nas palmas das mãos e na sola dos pés, e desaparecem espontaneamente. 

  • Lanugo

    Durante a gravidez forma-se um revestimento de pelos finos, suaves e abundantes que cobre o corpo do feto e que se designa lanugo. Na maioria dos bebés, o lanugo já não está presente ao nascimento. No entanto, alguns bebés ainda apresentam nesta altura algum lanugo, especialmente nos ombros e nas costas, que desaparecerá ao longo das primeiras semanas ou meses de vida do bebé.

  • Crosta Láctea ou Dermatite Seborreica

    Designa-se crosta láctea a presença de crostas de coloração amarelada no couro cabeludo do bebé, atingindo também, por vezes, as sobrancelhas e as orelhas. É muito comum nos recém-nascidos e deve-se a uma secreção excessiva de gordura pelos folículos pilosos daquelas regiões.

    A crosta láctea não causa qualquer incómodo ao bebé, tem apenas uma aparência desagradável. Acaba por desaparecer naturalmente antes do ano de idade. Este processo pode ser ajudado amolecendo as crostas com massagens suaves, usando óleo de amêndoas doces ou vaselina, e tentando removê-las cuidadosamente com um pente de pontas arredondadas durante o banho do bebé.

  • Mancha Mongólica

    Alguns bebés apresentam ao nascimento uma mancha azul violácea mais ou menos extensa no dorso e região nadegueira, designada mancha mongólica. É comum nos bebés negros e asiáticos e mais rara nos bebés brancos. Entre estes, é mais comum nos de pele morena. Com o passar do tempo a mancha mongólica vai-se tornando menos evidente e acaba por desaparecer.