Hospital da Luz realiza cirurgia pioneira em Portugal para tratar o ‘falsete persistente’

Hospital da Luz realiza cirurgia pioneira em Portugal para tratar o ‘falsete persistente’

O departamento de otorrinolaringologia do Hospital da Luz realizou com sucesso, pela primeira vez em Portugal, uma tireoplastia tipo III Isshiki - uma cirurgia rara utilizada para corrigir um problema das cordas vocais designado como ‘falsete persistente’ ou puberofonia.

A cirurgia foi realizada pelos especialistas do Hospital da Luz Sara Viana Baptista e João Olias a 19 de junho passado, tendo sido feita com anestesia local e sedação para permitir o controlo intra-operatório da qualidade vocal do doente, um homem de 35 anos.

O ‘falsete persistente’ ou puberofonia é uma doença rara, que afeta apenas uma em cada 900 mil pessoas, e que se define como a persistência de voz adolescente após a puberdade. O recurso à cirurgia só acontece quando estão esgotadas todas as alternativas terapêuticas não invasivas e se exclui a existência de uma patologia orgânica de base. Os doentes masculinos com puberofonia sofrem, muitas vezes, de isolamento social e de depressão, estando mesmo descritos casos de suicídio tentado.

A comparação dos resultados vocais pré e pós-operatórios, nos testes feitos ao doente, permitiu à equipa do Hospital da Luz concluir pelo total sucesso desta cirurgia pioneira em Portugal, com o doente a ter alta uma semana após a intervenção.