Lançamento da 1º Pedra - Hospital Beatriz Ângelo

Lançamento da 1º Pedra - Hospital Beatriz Ângelo

Realizou-se no dia 12 de Janeiro de 2010 a cerimónia de lançamento da 1ª pedra do novo Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, que contou com a presença do Primeiro Ministro e da Ministra da Saúde, entre outras individualidades.

O Hospital Beatriz Ângelo é um hospital público, objecto de uma parceria entre um consórcio liderado pela Espírito Santo Saúde, e que inclui também a Mota-Engil Engenharia, a Opway Engenharia, a Dalkia, a Mota-Engil Ambiente e Serviços e o Banco Espírito Santo, e o Estado Português.

Esta parceria prevê a concepção, financiamento, construção, manutenção e gestão do hospital, através da celebração de um contrato para a gestão do estabelecimento e prestação dos cuidados de saúde (com a duração de 10 anos) e de outro para a gestão do edifício (com a duração de 30 anos).

O Hospital Beatriz Ângelo servirá uma população de 272 mil pessoas dos Concelhos de Mafra, Loures, Sobral de Monte Agraço e Odivelas. Terá múltiplas valências Médicas e Cirúrgicas, uma área de Diagnóstico e Terapêutica de elevado perfil tecnológico e um Hospital de Dia Médico para a área de Oncologia, Unidade de Dor e Diálise, um Serviço de Urgência Médico-Cirúrgica e uma Maternidade com capacidade para realização de mais de 3.000 partos por ano. O Internamento inclui 424 camas, com possibilidade de aumento para 453, sem necessidade de obras. O Bloco Operatório possui oito salas, das quais duas serão dedicadas a cirurgia de Ambulatório. A área de Consulta Externa, com 44 gabinetes, está programada para poder realizar anualmente 245.000 consultas das diversas especialidades.

Discurso da Senhora Engª Isabel Vaz na cerimónia de lançamento da 1ª pedra do novo Hospital Beatriz Ângelo em Loures

Exmo. Senhor Primeiro Ministro, Exma. Senhora Ministra da Saúde, Exmos. Senhores Secretários de Estado, Exmo. Senhor Presidente da Câmara de Loures, Exmos. Senhores Presidentes das Câmaras de Odivelas, Mafra e Sobral de Monte Agraço, restantes individualidades presentes, minhas Senhoras e meus Senhores.

O sector da saúde é especial. O acesso universal aos cuidados de saúde é um inequívoco factor de coesão social, um direito civilizacional e uma conquista da nossa democracia. Por isso, o lançamento de um novo hospital não é um acontecimento igual aos outros.

Um hospital toca profundamente na vida das pessoas; num hospital nasce-se, num hospital morre-se. Num hospital recupera-se a saúde após a doença, renova-se a esperança e renasce-se de novo para a vida. Num hospital cumpre-se o ciclo da vida.

Mesmo quando não necessitamos dele, um hospital é como um farol, uma luz nas vidas das populações que serve. Está lá para se dele precisarmos, transmite-nos confiança e segurança.

É pois com inexcedível orgulho e também com alguma emoção que estou hoje aqui a representar o consórcio que nos próximos anos terá responsabilidade de construir e gerir um novo Hospital que servirá os concelhos de Loures, Odivelas, Mafra e Sobral de Monte Agraço, num esforço que envolveu em fase de concurso mais de 100 pessoas nas mais diversas áreas.

Jamais algo de grande pode ser realizado sem entusiasmo, persistência e convicções fortes.

Uma palavra pois de profundo agradecimento aos nossos parceiros de consórcio e a toda a equipa envolvida: a Espírito Santo Saúde na operação clínica, a Mota-Engil Engenharia e a Opway Engenharia na área da construção, a Dalkia e a Mota-Engil Ambiente e Serviços na área da manutenção hospitalar, o Banco Espírito Santo na montagem e financiamento do Project Finance, não esquecendo também os nossos consultores, com especial relevo para a Linklaters na área jurídica, o Banco Espírito Santo Investimento na área financeira e a equipa de projectistas sob coordenação dos arquitectos Albert Pineda e Miguel Saraiva & Associados.

Com especial amizade e admiração pessoal, agradeço ao Conselho Clínico Superior da Espírito Santo Saúde, aqui representado por dois grandes senhores da medicina portuguesa e cujo enorme saber está reflectido na governação clínica deste projecto: os Senhores Prof. Dr. José Roquette e Dr. João Sá. Um agradecimento também aos nossos enfermeiros, aqui representados pela Senhora Enf.ª Alice Arnaut, porque são um verdadeiro alicerçe dos nossos hospitais, ensinando-nos diariamente que a grande inovação em saúde é também nunca esquecer os valores eternos da empatia e compaixão pelos doentes que nos procuram e em nós confiam a sua saúde.

Juntos fomos mais e fizemos com que as coisas acontecessem. É o que se espera de nós.

Não posso ainda deixar de agradecer e relevar o papel fundamental das estruturas do Ministério da Saúde que conduziram este processo: a Missão Parcerias, a Comissão de Avaliação de propostas e a ARS de Lisboa e Vale do Tejo. O rigor e a exigência com que conduziram todo o processo de concurso e negociação, permitiram que continuamente nos superássemos e crescêssemos profissional e pessoalmente. Inicia-se hoje uma nova etapa não menos desafiante. Construir uma parceria baseada na transparência e rigor da sua avaliação e na evidência dos seus resultados. Obrigada aos Senhores Eng. João Wemans, Prof. Dr. Ribeiro Mendes e Dr. Rui Portugal.

Uma palavra também ao poder político, porque apesar da enorme crise económica e financeira que abalou o mundo e dos desafios ciclópicos de sustentabilidade que hoje enfrenta, tem a ousadia de acreditar que o ressurgimento económico nunca se fará sem investimento na coesão social através de um dos nossos bens mais preciosos: o direito à saúde.

Finalmente, hoje é um dia especial para a população do concelho de Loures que tanto lutou por este hospital, que beneficiará também os munícipios vizinhos de Odivelas, Mafra e Sobral de Monte Agraço. O terreno cedido pela Câmara de Loures à ARS de Lisboa e Vale do Tejo revela a visão de um Presidente de Câmara que aposta no papel que um hospital pode desempenhar no desenvolvimento sócio-económico da sua população. Sem a sua convicção e persistência não estaríamos hoje aqui.

É pois com elevado sentido de responsabilidade e conduzidos pela missão e valores que norteiam as nossas empresas, que assumimos hoje aqui, perante Vós Senhor Primeiro Ministro e Senhora Ministra da Saúde, e sobretudo perante as populações que a partir de hoje temos o privilégio e a honra de servir, o compromisso de serviço público e de contribuir de forma marcante e exemplar para o desenvolvimento do Sistema Nacional de Saúde português.

Muito Obrigada.

Isabel Vaz Loures,

12 de Janeiro de 2010