Novos protocolos de baixa dose de radiação na TAC do Hospital da Luz

Novos protocolos de baixa dose de radiação na TAC do Hospital da Luz

Os avanços tecnológicos na área da tomografia computorizada (TAC) e a utilização crescente deste método de diagnóstico imagiológico impõem a adopção de medidas adequadas para reduzir tanto quanto possível as doses de radiação. Este aspecto assume particular importância nos doentes que pela sua situação clínica devam realizar várias TAC ou nas crianças.

Assim, visando uma maior segurança dos doentes sem comprometer a eficácia dos exames, tem sido preocupação das equipas de médicos e técnicos do Centro de Imagiologia do Hospital da Luz desenvolver protocolos de baixa dose de radiação para implementação no equipamento TAC de dupla ampola.

Por exemplo, quando no contexto de uma sinusopatia inflamatória, situação comum nas crianças, é realizada uma TAC dos seios perinasais de acordo com o novo protocolo, a dose de radiação a que o doente é submetido é duas vezes inferior à de um raio-X convencional com três incidências ou onze vezes inferior à de uma TAC com o protocolo comum para estudo da mesma zona anatómica. Por outro lado, a obtenção de imagens multiplanares com a TAC permite dispor de mais informação, comparativamente aos exames radiológicos convencionais.

Também na área da cardiologia, um outro protocolo, designado step-and-shoot, permite agora reduzir a dose de radiação a que o doente é submetido, ajustando as necessidades da TAC às especificidades e exigências de cada caso. A possibilidade de em menos de 10 segundos avaliar um bypass ou um stent das artérias coronárias, determinar o risco cardíaco através de um score de cálcio ou monitorizar a perfusão do miocárdio, constitui sem dúvida um progresso considerável em termos de diagnóstico e de segurança e conforto para o doente.