Internato de Medicina Nuclear

undefined

A equipa do Serviço de Medicina Molecular integra, em 2016, duas especialistas em medicina nuclear e uma interna desta especialidade, e um especialista em cardiologia. Os especialistas do serviço são:

Dr.ª Rosário Vieira | Direção do Serviço de Medicina Molecular

Dr.ª Cristina Loewenthal | Medicina Nuclear

Dr. Luís Raposo | Cardiologia

Atividade assistencial

A equipa de Medicina Molecular é responsável por todos os exames de medicina nuclear e de PET-CT, bem como as terapêuticas com radionúclidos realizadas no Hospital da Luz Lisboa, entre as quais:

  • Cintigrafias osteo-articulares
  • Cintigrafias do foro endocrinológico
  • Cintigrafias do foro cardiovascular
  • Cintigrafias de ventilação-perfusão
  • Cintigrafias do aparelho urinário
  • Cintigrafias do aparelho gastrointestinal
  • Cintigrafias do sistema nervoso central
  • Cintigrafias de infeção/inflamação
  • Densitometria óssea
  • PET-CT com 18F-FDG
  • PET-CT com 18F-colina
  • PET-CT com 68Ga-DOTANOC
  • PET-CT com 18F-fluoreto
  • Terapêuticas com Iodo-131
  • Terapêuticas com radionúclidos na dor óssea metastática
  • Terapêuticas com radionúclidos nos tumores neuroendócrinos

 

Formação do internato em medicina nuclear

A formação específica em Medicina Interna obedece ao programa de formação do colégio de especialidade, publicado na Portaria 614/2010 de 3 de agosto.

Resumidamente, no primeiro ano do internato, o interno tem formação básica nos aspetos físicos das radiações, realiza o estágio de radiofarmácia, que pode ser complementado com estágio noutra instituição, nomeadamente no Campus Tecnológico e Nuclear (Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa). Deverá também ter alguma formação em hematologia nuclear, realizar estágio de endocrinologia e iniciar a sua atividade nas escalas de exames, nomeadamente com cintigrafias osteo-articulares e do aparelho urinário.

No segundo ano, deverá preferencialmente realizar o estágio em cintigrafias do foro cardiovascular, com a duração de nove meses. Deverá continuar a formação nas restantes cintigrafias realizadas no departamento e participar nas terapêuticas realizadas.

No terceiro ano, deverá realizar o estágio em radiologia, com duração de três meses. Deverá continuar a formação em estudos de câmara gama e PET-CT e participar, sempre que possível, nas terapêuticas realizadas.

No quarto ano, deverá realizar o estágio opcional noutra instituição e/ou país numa área do seu interesse. Deverá continuar a formação em estudos de câmara gama e PET-CT e participar, sempre que possível, nas terapêuticas realizadas.

O interno deverá manter-se atualizado sobre temas clínicos, especialmente os de particular relevância para a sua atividade diagnóstica e terapêutica. Deverá também participar nas reuniões do serviço, rotativamente nas várias reuniões multidisciplinares, nas reuniões do hospital e do grupo. Deverá ainda preparar trabalhos para apresentar em cursos e congressos em Portugal e no estrangeiro.

 

Avaliação

A avaliação é contínua, complementada por um exame anual, que consiste na realização de um ou dois relatórios de exames, apreciação do relatório anual e avaliação teórica.

A avaliação final do internato consiste numa prova de discussão curricular, numa prova prática e numa prova teórica.