Eletrocardiograma primeiro, prática desportiva depois

Eletrocardiograma primeiro, prática desportiva depois

O Professor Nuno Cardim, médico cardiologista e coordenador da Unidade de Imagiologia Cardíaca e do Laboratório de Ecocardiografia do Hospital da Luz Lisboa, foi o entrevistado do programa “Em Linha” da BTV, emitido a 24 de janeiro último no canal de televisão do Sport Lisboa e Benfica.

O tema da emissão foi a prática amadora de desporto, uma tendência crescente a nível nacional, mas que muitas vezes não é acompanhada de uma boa avaliação prévia da condição de saúde dos praticantes. Com efeito, cada vez mais pessoas querem seguir um estilo de vida saudável e decidem iniciar a prática de um desporto de competição ou somente recreativo, mas sem tomar as devidas precauções relativamente à avaliação do seu estado de saúde, nomeadamente da componente cardiovascular. Porém, o risco de doença cardíaca pode existir e manifestar-se com a prática de atividade física.

A melhor forma de prevenção de deteção de problemas cardíacos, que podem revelar-se fatais passa, como disse Nuno Cardim, pela realização mandatória de um eletrocardiograma. Com este exame, observado por um cardiologista diferenciado, será possível detetar a existência de doença cardíaca e atuar, tratando a doença e até aconselhando o tipo de atividade física mais adequada a cada praticante, tendo em conta a idade e a existência (ou não) de patologia cardiovascular.

Nuno Cardim referiu ainda que são muitos os estudos que apontam a prática de exercício físico moderado, cinco vezes por semana (caminhada vigorosa) ou de exercício mais intenso, uma vez por semana (1,5 horas) como muito benéficos para a saúde.

Quanto aos exames cardiológicos a realizar, o médico recomendou o eletrocardiograma para os iniciados na prática desportiva abaixo dos 35 anos de idade, incluindo os praticamente mais jovens, nomeadamente a partir dos 10 anos de idade e o eletrocardiograma com prova de esforço para quem tem mais de 35 anos. Nuno Cardim reforçou a ideia de que estes exames devem ser avaliados por médicos cardiologistas com grande experiência em medicina desportiva e em hospitais onde exista tecnologia avançada para diagnóstico (ecocardiografia avançada, ressonância magnética cardíaca) e técnicas de tratamento complexo de patologia cardíaca, tal como é o caso do Hospital da Luz Lisboa.

Assista ao video da BTV aqui: