Voltar

Colposcopia

O que é e como é realizada uma colposcopia?

A colposcopia consiste numa observação direta da superfície do colo do útero, da vagina e vulva utilizando um colposcópio, que é um aparelho que inclui uma fonte de luz e uma lente binocular exterior, que permite obter imagens ampliadas. Se o colposcópio tiver uma câmara acoplada, as imagens são transmitidas para um monitor, e assim torna-se possível acompanhar o exame através deste.

A colposcopia é realizada com a doente deitada de costas, com as pernas fletidas. Durante a colposcopia são aplicadas soluções líquidas para ajudar a identificação de alterações das células; ocasionalmente estas substâncias podem causar um ligeiro ardor que, no entanto, é passageiro. Durante o exame podem ser colhidos fragmentos de tecido (biópsia), procedimento quase sempre indolor e bem tolerado, descrito como uma picada rápida. Em alguns casos e após o diagnóstico de certas condições, pode proceder-se ao seu tratamento, usando vários meios químicos ou físicos. Estes tratamentos incluem a aplicação tópica de compostos ou o recurso ao eletrocautério, à criocoagulação ou ao laser.

Nos três a cinco dias seguintes ao exame pode ocorrer uma hemorragia ligeira acompanhada pela eliminação de resíduos das substâncias aplicadas, pelo que se aconselha a utilização de um penso higiénico.

Em que situações é realizada?

A decisão sobre a necessidade de realizar qualquer exame é sempre tomada pelo médico, em função das características individuais de cada doente e das suas queixas ou doença.

A indicação mais frequente para uma cosposcopia é a suspeita ou a deteção de células anormais na citologia de rastreio ao colo do útero efetuada em consulta. Por vezes, quando não são tratadas estas alterações podem levar ao desenvolvimento de cancro cervical. Outras indicações da colposcopia incluem: alterações detetadas no exame ginecológico (colo, vagina ou vulva), hemorragias espontâneas ou de contacto ou vigilância por risco acrescido de doença desta área.

Que limitações tem?

A colposcopia é uma técnica que pode falhar lesões e diagnósticos, mesmo com um exame tecnicamente adequado. Em certos casos o exame é considerado não satisfatório, o que ocorre quando a área de maior risco de doença não está acessível à exploração por este método.

Quanto tempo demora?

A realização de uma colposcopia requer em média cerca de 15 minutos. No entanto, poderá ser mais demorada, especialmente se for necessário realizar procedimentos adicionais.

Existem efeitos secundários, riscos ou complicações associados à realização de uma colposcopia?

Os riscos associados à realização de uma colposcopia são raros, mas existem, tal como acontece com qualquer outro exame em que sejam usados dispositivos médicos. A incidência destes riscos varia com os indivíduos, e poderá estar relacionada com a utilização eventual de medicamentos e com procedimentos adicionais que seja necessário realizar. Entre estes riscos incluem-se a hemorragia, infeções, dor abdominal ou pélvica ou complicações devidas a doenças já presentes ou a reações adversas a produtos que sejam usados.