Voltar

Mapeamento das funções cerebrais

O mapeamento cerebral é a determinação, em cada indivíduo, das áreas cerebrais responsáveis pelo controlo de funções tão importantes como o controlo motor dos membros, a capacidade de linguagem falada, da leitura, da resolução de problemas matemáticos, ou outras. O mapeamento de algumas funções cerebrais mais importantes foi feito para o cérebro humano, de uma forma genérica, mas apresenta grandes variações individuais, o que dificulta a determinação segura da localização das áreas pertinentes quando se programa uma intervenção cirúrgica num doente com um tumor ou outra lesão cerebral.

O desenvolvimento da ressonância funcional permitiu um avanço substancial nesta área, tornando possível pré-operatoriamente aferir a localização das áreas ditas eloquentes do cérebro do doente. Apresenta no entanto algumas limitações técnicas que impedem que o neurocirurgião baseie a sua avaliação neste tipo de exames. Os seus resultados têm uma margem de erro que pode atingir 30 a 40%, o que é inaceitável quando está em risco uma sequela potencialmente incapacitante.

O mapeamento por estimulação elétrica direta é o método mais eficaz para localizar as áreas funcionalmente importantes do cérebro e permitiu ultrapassar os problemas referidos. Com esta técnica é possível, durante a cirurgia, guiar o neurocirurgião no seu procedimento, reduzindo a probabilidade de sequelas neurológicas. A sua utilização dá ao cirurgião a segurança necessária para estender a remoção sem receio de condicionar sequelas, promovendo assim tratamentos cirúrgicos mais radicais que contribuem significativamente para a melhoria dos resultados terapêuticos em tumores ou outras lesões cerebrais. É ainda possível o tratamento de lesões que pela sua localização em áreas eloquentes eram tidas como inoperáveis.