O estado da arte na cirurgia robótica em urologia

O estado da arte na cirurgia robótica em urologia

O último dia do simpósio «Minimally and invasive robotic urology» do congresso internacional Leaping Forward, no Hospital da Luz, foi dedicado a acompanhar duas cirurgias realizadas ao vivo - uma cistectomia radical pelo médico sueco Peter Wiklund, um dos mais experientes da Europa em cirurgia robótica, e uma nefrectomia parcial por Jim Porter, o cirurgião norte-americano especialista em cirurgia laparoscopica e robótica.

Enquanto as cirurgias decorriam, foram sendo feitas apresentações sobre aspetos técnicos específicos da cirurgia robótica na urologia e sobre os casos em que a abordagem laparóscopica é indicada. Ao longo do dia, foram sendo feitas ligações em direto ao bloco operatório do Hospital da Luz, para que a plateia pudesse questionar os cirurgiões sobre os passos que estavam a dar.

Kris Maes, coordenador do Centro de Cirurgia Robótica e Minimamente Invasiva do Hospital da Luz para a área da urologia e diretor deste simpósio, falou especificamente sobre as vantagens da robótica sobre a laparoscopia na nefretoctomia e na nefrourectomia. E Filipe Costa, diretor do centro de gestão de oncologia do Hospital da Luz e enfermeiro especialista em cirurgia robótica, fez uma apresentação sobre eficiência no bloco operatório.