Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica

O Hospital da Luz Clínica de Oeiras possui um corpo de Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica altamente qualificado.

O avanço tecnológico que se tem registado nos últimos anos no setor da saúde e a especialização profissional imprescindível que lhe está associada conferem atualmente aos Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica um papel determinante nas equipas de saúde. Assim, a inovação tecnológica patente no Hospital da Luz Clínica de Oeiras conta com a prestação de um corpo de Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica jovem e altamente qualificado, selecionado em conformidade com padrões rigorosos em termos técnicos, pessoais e de experiência profissional.

Os Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica do Hospital da Luz Clínica de Oeiras desenvolvem a sua atividade em várias áreas, integrados em equipas multidisciplinares, colaborando para uma prestação de cuidados única, centrada nas necessidades dos pacientes e contribuindo decisivamente para o seu bem-estar e qualidade de vida. Os Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica apostam também fortemente numa aprendizagem contínua, através do envolvimento em programas de formação e investigação nas suas áreas profissionais, o que lhes permite responder à evolução tecnológica e garantir a melhor qualidade e eficiência na prestação de cuidados de saúde.

Os Técnicos de Imagiologia desenvolvem a sua atividade profissional na realização e avaliação da qualidade de imagens médicas no âmbito das diversas áreas de intervenção Imagiológicas, nomeadamente, Densitometria Óssea, Radiologia Geral, Mamografia, Ortopantomografia e Cefalometria, Ressonância Magnética e Tomografia Computorizada (TAC). Prestam ainda apoio imagiológico em atos cirúrgicos através de Intensificadores de Imagem.

Os Técnicos de Cardiopneumologia exercem a sua ação no contexto morfofuncional e fisiopatológico dos sistemas cardiovascular, cerebrovascular e respiratório, através da realização de exames de diagnóstico e ações terapêuticas, nomeadamente, na execução de eletrocardiogramas, provas ergométricas, ecocardiogramas, provas funcionais respiratórias, estudos do sono, estudos ambulatórios da função cardiovascular, estudos de ecodoppler vasculares periféricos e cerebrovasculares. Colaboram ainda em atos invasivos de diagnóstico e terapêutica cardiovascular, em reanimação cardiorrespiratória e nos meios de suporte de vida em cirurgia cardiotorácica através de tecnologia extracorporal.

As funções primordiais dos Dietistas abrangem várias áreas, entre as quais se incluem, no âmbito da promoção da saúde, a elaboração de programas de intervenção, formação e promoção para hábitos alimentares saudáveis; no contexto terapêutico, a sua intervenção reflete-se na programação de uma alimentação e suporte nutricional adequados, segundo a condição clínica e estado nutricional do paciente e a realização de consultas de dietética e nutrição.

Os Técnicos de Análises Clínicas e Saúde Pública atuam integrados em equipas multidisciplinares, no âmbito da Patologia Clínica, Imunohemoterapia e Saúde Pública, através da realização de colheitas de produtos biológicos e da aplicação de técnicas de determinação analítica que contribuem para o diagnóstico e rastreio de diversas patologias. 

Os Técnicos Audiologistas desenvolvem a sua atividade na área do diagnóstico, planificando, executando e interpretando exames de exploração funcional clássica e eletrofisiológica, com o objetivo de identificar, quantificar e qualificar anomalias do sistema audio-vestibular. Na área da reabilitação, participam no planeamento e execução de programas de reabilitação auditiva e vestibular.

Os Técnicos Ortoptistas identificam, quantificam e qualificam anomalias da visão e da motilidade ocular, participando na realização de exames complementares de diagnóstico anatomo-fisiológico e na adaptação de lentes de contacto.

Os Terapeutas da Fala são responsáveis pela prevenção, avaliação e reabilitação das perturbações da comunicação humana. A intervenção terapêutica baseia-se numa perspetiva funcional de melhoria das capacidades comunicativas dos doentes, essencialmente ao nível da linguagem, fala, voz e deglutição. O acompanhamento é feito através de estratégias terapêuticas específicas, apropriadas a diferentes idades e patologias.