Angioplastia coronária

Angioplastia _stent _balao

A angioplastia coronária ou intrvenção coronária percutânea é a desobstrução de uma artéria coronária total ou parcialmente obstruída. Pode ser realizada com um stent ou com um balão.

É usado um cateter longo e fino, que é introduzido, através de uma pequena incisão da pele, numa artéria na virilha ou no braço, e avançado até ao coração dispondo, apenas, de um balão, ou transportando, também, um stent. A angioplastia com stent é o método mais usado atualmente. O stent é uma malha metálica que se encontra sobre um balão. Este, é colocado no interior do vaso ao nível da obstrução, e insuflado de modo a empurrar o stent contra a parede da artéria. O stent permanecerá, então, aderente à sua parede, garantindo um calibre adequado e a passagem do sangue (figura em baixo à esquerda). Uma outra opção, menos comum e, em geral, menos eficaz, é fazer a dilatação do vaso apenas com balão (angioplastia com cateter de balão). Neste caso, uma vez posicionado, o balão do cateter é insuflado para dilatar o vaso (figura em baixo à direita) e posteriormente retirado.

A angioplastia demora, em média, 30 a 45 minutos. No entanto, poderá ser mais rápida (p. ex. cerca de 15 minutos) ou bastante mais longa, nos casos mais complexos (p. ex., pode durar duas a três horas). A angioplastia poderá requerer internamento. Pode ser realizada no mesmo tempo de uma angiografia ou, mais tarde, num segundo procedimento.

As principais vantagens da angioplastia relativamente à cirurgia de revascularização do miocárdio são:

  • É um procedimento menos invasivo
  • Requer uma estadia hospitalar mais curta
  • Permite um retorno mais rápido às atividades de rotina diária

As desvantagens da angioplastia coronária com stent relativamente à cirurgia de revascularização do miocárdio são:

  • Menor capacidade para manter o calibre adequado da artéria ao longo do tempo.Com efeito, um ano após angioplastia com stent, verifica-se um aperto do stent em 10% dos doentes, necessitando de uma nova angioplastia. A angioplastia é um procedimento que pode ser repetido várias vezes, mas requer sempre uma angiografia prévia ou simultânea. Estima-se que a taxa de repetição de angiografia/angioplastia coronária seja de 10 a 20% nos primeiros dois anos.
  • É necessário realizar uma terapêutica com dois anti-agregantes plaquetários durante um tempo, para garantir a fluidez do sangue e evitar a formação de um coágulo. Esta medicação está associada a um pequeno risco de hemorragia externa e interna, e poderá interferir no controle da hemorragia durante procedimentos cirúrgicos não cardíacos que, eventualmente, sejam necessários.