Anestesia: medos e dúvidas

Anestesia: medos e duvidas

Os doentes submetidos a anestesia para procedimentos diagnósticos ou terapêuticos, cirúrgicos ou não, exprimem com frequência determinadas preocupações e dúvidas relativamente à anestesia. Porém, os receios tem hoje pouca razão de existir.

Será que vou ter dor?

Hoje, as técnicas disponíveis para o alívio da dor são multimodais e preventivas, ou seja, a utilização de diversos fármacos por diferentes vias (endovenosa, intramuscular, oral, epidural) atuando nos vários níveis do circuito da dor, diminuem a possibilidade de dor significativa no pós-operatório.

Será que vou despertar a meio da anestesia?

Este receio é hoje pouco provável, pois, para além da monitorização clínica da profundidade anestésica existem técnicas de monitorização instrumental que dão uma informação mais sensível do nível de hipnose, o que permite ajustar a administração dos fármacos às necessidades quer do doente, quer da cirurgia a que está a ser submetido.

Será que não vou acordar no final ou que vou acordar com algum déficefísico ou psíquico?

Tal como a questão do medo de acordar durante a anestesia, a monitorização da profundidade anestésica assegura uma melhor titulação do tipo e dose de fármacos administrados, o que, simultaneamente com a manutenção da estabilidade dos parâmetros vitais durante a anestesia tornam a hipótese de não acordar ou de acordar com déficit, muito remota.

A anestesia do neuro-eixo (epidural ou outra) tem riscos de lesão neurológica?

O médico anestesiologista conhece a anatomia, os locais de punção, a concentração e o volume de fármacos a administrar, bem como as patologias associadas e as medicações paralelas que o doente faz e que contraindicam a técnica.

O seu anestesiologista respeitará as regras de segurança pelo que a possibilidade de lesão é quase nula.

Como e quando recorrer a um anestesiologista?

A necessidade de ser convenientemente avaliado pré-operatoriamente pelo seu anestesiologista justifica uma consulta de anestesia.
Durante a consulta, será avaliada a sua condição de saúde e ser-lhe-ão explicados todos os procedimentos.

Texto:

Cristina Pestana e Nuno Rodrigues

Anestesiologia

Hospital da Luz