Voltar

Histeroscopia

O que é e como é realizada uma histeroscopia?

A histeroscopia é um procedimento endoscópico em que é avaliada a cavidade uterina utilizando um sistema óptico designado histeroscópio. A este sistema está associada uma câmara que transmite imagens ampliadas para um monitor presente na sala onde o exame é realizado. Desta forma, o médico poderá examinar em pormenor o interior da cavidade uterina, bem como gravar as imagens que pretenda, ou mesmo todo o exame. A histeroscopia pode ser realizada com finalidades de diagnóstico ou de tratamento.
A histeroscopia é realizada com a doente em posição ginecológica. O histeroscópio é introduzido através da vagina até o canal cervical e à cavidade uterina e, ao mesmo tempo, é feita uma distensão local usando um meio líquido. De uma forma geral, a histeroscopia é realizada sem anestesia; no entanto, pode ser administrada uma anestesia local ao nível do colo uterino, com a finalidade de diminuir algum desconforto.

Em que situações é realizada?

A decisão sobre a necessidade de realizar qualquer exame é sempre tomada pelo médico, em função das características individuais de cada doente e das suas queixas ou doença. A realização de uma histeroscopia surge na maioria das vezes para avaliação de problemas uterinos funcionais ou morfológicos: alterações do ciclo ou hemorragias uterinas anormais, pólipos, miomas, estadiamento de lesões malignas, diagnóstico de malformações, entre outros. Pode também ser realizada para esterilização tubária.

Que limitações tem?

Tal como qualquer outro exame, a histeroscopia é uma técnica que pode falhar a determinação de lesões e diagnósticos, mesmo com um procedimento tecnicamente correto. A histeroscopia está contraindicada nas grávidas e nos casos de infeção aguda e não deve ser realizada perante uma hemorragia ativa.

Quando tempo demora?

A realização de uma histeroscopia demora em média cerca de 15 a 45 minutos.  Durante alguns dias depois do exame poderão ocorrer perdas hemorrágicas ligeiras. Enquanto estas ocorrerem a doente deve evitar esforços físicos, relações sexuais e banhos de imersão.

Existem efeitos secundários, riscos ou complicações associados à realização de uma histeroscopia?

Os riscos associados à realização de uma histeroscopia são raros, mas existem, tal como acontece com qualquer outro procedimento em que sejam usados aparelhos ou medicamentos. Para reduzir o risco de ocorrência de complicações é fundamental que o médico esteja informado sobre alergias, outras doenças presentes ou tratamentos em curso.