Voltar

Alergia a medicamentos

As reações de hipersensibilidade a fármacos são uma consequência rara e imprevisível do tratamento farmacológico.

Os medicamentos que causam um maior número de reações de hipersensibilidade são os antibióticos derivados da penicilina e os anti-inflamatórios não esteroides.

Perante a possibilidade de alergia a um medicamento, pode ser necessário realizar testes cutâneos e/ou prova de provocação, tanto para excluir ou afirmar a presença de alergia, como para assegurar que um fármaco alternativo é seguro.

Os testes cutâneos consistem na colocação do medicamento em estudo na camada mais superficial da pele, através de picadas ou injeção de pequenas doses. Passados 20 minutos é avaliada a resposta que, sendo positiva, se manifesta por uma pápula vermelha e comichão.

Na prova de provocação o medicamento é administrado sob vigilância médica, com os recursos necessários para tratar uma eventual reação alérgica. As doses administradas são crescentes, em intervalos de tempo regulares, até se atingir a dose terapêutica.

Em algumas situações muito restritas, quando é confirmada alergia e não é possível substituir o fármaco por outro igualmente eficaz e seguro, pode ser necessário iniciar um protocolo de dessensibilização. Este procedimento induz um estado de tolerância transitório, permitindo que o doente alérgico complete o tratamento.