Enfermeiros

Enfermeiros

O corpo de enfermagem tem como missão prestar cuidados de enfermagem de excelência a todas as pessoas que procuram cuidados de saúde nas unidades da rede Hospital da Luz.

Tanto nas suas intervenções autónomas como nas interdependentes, o corpo de enfermagem insere-se num contexto de atuação multiprofissional e desempenha a sua atividade no sentido da promoção da saúde, da prevenção da doença, da satisfação das necessidades humanas, da readaptação à vida ativa, da adaptação funcional aos défices e da reinserção socioprofissional. Por outro lado, na procura constante de uma melhoria do seu desempenho, e reconhecendo a importância da formação ao longo da vida e da atualização face à evolução do conhecimento científico, o corpo de enfermagem da rede Hospital da Luz fomenta e colabora em ações de formação e em projetos de investigação na sua área de intervenção.

O corpo de enfermagem do Hospital da Luz é recrutado e selecionado criteriosamente pelas direções de enfermagem, com base em padrões exigentes, no que se refere não só à sua formação, como também à qualidade do seu desempenho e à sua experiência anterior no exercício da profissão.

No âmbito da sua atividade profissional, os enfermeiros do Hospital da Luz respeitam o Código Deontológico, o Regulamento do Exercício da Profissão de Enfermagem (REPE), os padrões de qualidade dos cuidados de enfermagem e as competências definidas para o enfermeiro de cuidados gerais pelo conselho de enfermagem da Ordem dos Enfermeiros.

Os enfermeiros que exercem a sua atividade na rede Hospital da Luz incluem na sua prática diária um ideal de qualidade e excelência. Neste sentido, adotam os princípios orientadores da Ordem dos Enfermeiros, nomeadamente:

  • Visar a satisfação dos clientes: respeitando as suas capacidades, crenças, valores e desejos individuais; procurando estabelecer empatia nas relações; estabelecendo parcerias no planeamento dos cuidados; envolvendo a família ou outras pessoas no processo de cuidados; e minimizando o impacto negativo associado às mudanças de ambiente que forem necessárias ao processo de assistência de saúde. 
  • Promover a saúde: enquadrando a situação das pessoas a quem prestam cuidados na sua família e na sociedade; criando e aproveitando oportunidades para promover estilos de vida saudáveis; otimizando o trabalho adaptativo aos processos de vida, crescimento e desenvolvimento; e fornecendo informação geradora de aprendizagem cognitiva e de novas capacidades.
  • Prevenir complicações: identificando tão rapidamente quanto possível os problemas potenciais presentes; implementando e avaliando intervenções que contribuam para evitar esses problemas ou minimizando os seus efeitos indesejáveis; prescrevendo intervenções de enfermagem técnica e cientificamente adaptadas aos problemas identificados; referenciando para outros profissionais de saúde situações problemáticas para as quais não tem capacidade de intervenção; supervisionando atividades de enfermagem delegadas; e responsabilizando-se pelas decisões tomadas e pelos atos praticados ou delegados.
  • Maximizar o bem-estar e o auto cuidado: identificando tão rapidamente quando possível os problemas das pessoas a quem prestam cuidados, para os quais tem conhecimentos e está preparado para prescrever; implementando e avaliando intervenções que contribuam para aumentar o bem-estar e para complementar atividades de vida relativamente às quais existe dependência.
  • Contribuir para a readaptação funcional: reconhecendo a continuidade do processo de prestação de cuidados de enfermagem; planeando a alta das pessoas internadas, de acordo com as suas necessidades e os recursos da comunidade; otimizando as capacidades do cliente e da sua família ou outros para gerir o regime terapêutico prescrito; ensinando e treinando as pessoas a quem prestam cuidados sobre a adaptação necessária para a sua readaptação funcional.
  • Contribuir para a organização dos cuidados de enfermagem: conhecendo a existência de um quadro de referências para o exercício profissional de enfermagem; conhecendo a existência de um sistema de melhoria contínua da qualidade de exercício profissional dos enfermeiros; conhecendo a existência de um sistema de registos de enfermagem que incorpore sistematicamente as necessidades de cuidados de enfermagem do cliente, as intervenções de enfermagem e os resultados sensíveis às intervenções de enfermagem obtidos pelo cliente; procurando a satisfação dos enfermeiros relativamente à qualidade do exercício profissional; adaptando o número de enfermeiros face à necessidade de cuidados de enfermagem; conhecendo a existência de uma política de formação contínua dos enfermeiros, promotora do desenvolvimento profissional e da qualidade; utilizando metodologias de organização dos cuidados de enfermagem promotoras da qualidade.

A avaliação dos enfermeiros do Hospital da Luz centra-se em competências pessoais e profissionais e em objetivos de desempenho, pretendendo contribuir para a formação individual e para a excelência da sua prestação enquanto integrados na equipa deste hospital.