Previna-se contra o sarampo

Na sequência dos casos de sarampo que têm surgido na zona norte do país, a Direção-Geral da Saúde (DGS) reforçou os alertas sobre as consequências que a doença pode ter e emitiu as seguintes recomendações:

  • Verifique o seu boletim de vacinas. Se necessário, vacine-se e vacine os seus.
  • Se esteve em contacto com um caso suspeito de sarampo e tem dúvidas, ligue para o SNS 24 – 808 24 24 24.
  • Se tem sintomas sugestivos de sarampo (febre, erupção cutânea, conjuntivite, congestão nasal, tosse), não se desloque e evite o contacto com outros. Ligue para o SNS 24 - 808 24 24 24.
  • A vacinação é a principal medida de prevenção contra esta doença e é gratuita.
  • O Programa Nacional de Vacinação recomenda a vacinação com duas doses, aos 12 meses e aos 5 anos de idade.

Recorde-se que o sarampo é uma das doenças infecciosas mais contagiosas. Tem uma evolução habitualmente benigna, mas pode em alguns casos provocar doença grave, principalmente em pessoas não vacinadas. Em pessoas vacinadas, a doença poderá surgir, mas já com um quadro clínico mais ligeiro e menos contagioso.

Segundo a DGS, a larga maioria dos portugueses está protegida, pois foi vacinada ou teve anteriormente a doença. Pela imunidade de grupo assim adquirida, a probabilidade de propagação do vírus é reduzida, mas há que acautelar os casos de crianças e adultos que não tenham sido vacinados e que estão vulneráveis a uma evolução grave do vírus.