Hospital da Luz realiza pela primeira vez uma pancreatectomia distal com preservação do baço por via laparoscópica

No passado dia 7 de março foi realizada pela primeira vez no Hospital da Luz, por uma equipa chefiada pelo Prof Dr. Rui Maio, uma pancreatectomia distal com preservação do baço, por via laparoscópica.

O doente tinha uma insulinoma na cauda do pâncreas, um tumor raro, produtor de insulina, responsável pelos vários episódios de hipoglicemia de que o doente se queixava. O procedimento durou cerca de duas horas, decorreu sem incidentes, e o doente teve alta ao quarto dia de pós-operatório, assintomático e com níveis de glicemia normais. Nesta intervenção foi possível manter o baço, o que tem grandes vantagens para o doente, nomeadamente maior resistência a determinados agentes infecciosos.

Globalmente, os benefícios mais importantes da cirurgia minimamente invasiva para os doentes são menos dor no pós-operatório, resposta imunitária mais forte, recuperação geral mais rápida, regresso mais rápido à atividade profissional, menor incidência de infeções, menor incidência de hérnias incisionais e cicatrizes operatórias pouco visíveis.

Na cirurgia de resseção distal do pâncreas, a cirurgia minimamente invasiva pode também ser utilizada com vantagens para o doente.