Alunos do 9º ano aprendem SBV com enfermeiro Paulo Fonseca

O Externato Marista de Lisboa recebeu de novo o Hospital da Luz Clínica da Amadora para mais uma sessão de formação em Suporte Básico de Vida. Pelo terceiro ano consecutivo, o Hospital permitiu aos professores deste colégio passar da teoria para a prática, pondo os seus alunos, com a orientação profissional de quem sabe, a aprender a salvar vidas. 

Foram cerca de 120 alunos do 9º ano de escolaridade, divididos em quatro grupos, aqueles que, no passado dia 28 de maço, participaram na aula sobre como agir corretamente quando alguém está em paragem cardiorrespiratória. A formação esteve a cargo de Paulo Fonseca, enfermeiro coordenador do Hospital da Luz Clínica da Amadora e formador credenciado em suporte básico e avançado de vida.

Além das informações sobre o sistema nacional de emergência, os passos do procedimento a adotar e o significado de cada gesto feito quando se executam as manobras de suporte básico de vida, os alunos do Externato Marista de Lisboa puderam experimentar na prática as técnicas de reanimação a executar em caso de paragem cardiorrespiratória. Estas matérias fazem parte do programa de Ciências Naturais do 9º ano, mas normalmente são apenas lecionadas na sua parte teórica.

Com os manequins de simulação usados nesta formação os alunos aprenderam a executar as compressões torácicas e a ‘respiração boca-a-boca’ ao ritmo certo. E, apesar do esforço feito, no final todos reconheceram a importância de saber executar corretamente as manobras de Suporte Básico de Vida. «Foi muito útil», considerou o Diogo. «Estas situações podem acontecer em qualquer altura e nós temos de estar preparados. É nosso dever, como cidadãos», acrescentou Cristina.

A cada 90 segundos uma pessoa entra em paragem cardiorrespiratória, constituindo uma das principais causas de morte em todo o mundo. O Suporte Básico de Vida aumenta substancialmente a probabilidade de sobrevivência da vítima, quando iniciado nos primeiros minutos após a paragem cardíaca.

Ajudar a salvar vidas é um dever de todos.