Startup de saúde vence Protechting 3.0

 

A CRIAM, startup da área de saúde que apresentou um dispositivo médico portátil para análises sanguíneas, capaz de identificar o tipo e subtipo sanguíneo em três minutos e detetar depois doenças, foi a grande vencedora da 3.ª edição do Protechting – o programa de apoio e aceleração de projetos inovadores nas áreas da saúde (Healthtech), seguros (Insurtech) e finanças (Fintech), promovido pela Fosun e pela Fidelidade em parceria com a Beta-i, empresa incubadora de novas ideias empresariais (startups).

O projeto da CRIAM assenta numa nova metodologia para a fenotipagem do sangue, portátil, rápida, simples e de baixo custo, através de um dispositivo baseado num cartucho com os reagentes específicos para o teste de tipo de sangue. Foi considerado o melhor modelo de negócio dos seis finalistas do Protechting, pelo que recebeu ainda um prémio monetário no valor de 10 mil euros, atribuído em cerimónia que decorreu a 8 de novembro passado, durante o último dia da Web Summit, em Lisboa. 

Para os responsáveis da CRIAM, a participação no Protecting 3.0 «excedeu todas as nossas expectativas»: «Encontrámos pessoas maravilhosas e trouxemos a nossa experiência. Participar no roadshow na China vai ser incrível, já lá estivemos e sabemos o que podemos fazer. Estar presente com a Fosun, a Fidelidade, a Luz Saúde e a Beta-i é incrível porque têm as ligações certas para brilharmos», disse o CEO da CRIAM, Vítor Crespo (em cima, na foto), na ocasião da entrega do prémio.

O Hospital da Luz Learning Health, empresa do grupo Luz Saúde dedicada à formação avançada de profissionais, investigação translacional e inovação nas áreas da prestação e gestão de cuidados de saúde, foi a mentora da CRIAM e deu o suporte necessário à startup na elaboração do protocolo de um estudo clínico, em conjunto com as imuno-hemoterapeutas Laura Castro e Graça Rodrigues, do Serviço de Imuno-hemoterapia do Hospital Beatriz Ângelo, com o qual será realizado esse estudo para avaliar a precisão da solução desenvolvida pela CRIAM.

Vencedores em roadshow na China

Além da CRIAM, que se destacou com o melhor modelo de negócio, o Protechting contou ainda com outros dois vencedores, os projetos Wall-i e Copsonic. A Wall-i.TV é um sistema operativo mais avançado de sinalização digital baseado em cloud, capaz de fornecer informação segmentada e versátil o suficiente para ser adaptável à apresentação de conteúdos dentro dos diferentes requisitos de contexto.

A CopSonic é um novo protocolo de comunicação contactless que permite segurança digital, deteção inteligente e conectividade entre dispositivos eletrónicos. Pode ser integrado por parceiros B2B nas atividades verticais e ambientes existentes. A transferência segura é obtida através de microfones.

Os três projetos vencedores foram ainda premiados com um roadshow na China, a decorrer no próximo mês de dezembro, onde terão acesso a alguns dos maiores investidores do mundo, e também a oportunidade de integrar e desenvolver os seus negócios com a Fosun, a Fidelidade, a Luz Saúde ou o banco alemão Hauck & Aufhäuser.

Desde a primeira edição, em 2016, o programa Protechting já recebeu mais de 250 candidaturas de start-ups provenientes de 42 países. O Protechting 3.0 recebeu 157 candidaturas, das quais 100 foram aprovadas, de um total de 32 países. Na semana de bootcamp, participaram 25 start-ups, das quais foram escolhidas 15 finalistas para integrarem a semana de pilotos, em que foram selecionadas seis para o pitch final na Web Summit.