Doutoramento de David Ângelo em Cirurgia Maxilofacial aprovado com louvor e distinção

Doutoramento David Ângelo Cirurgia Maxilofacial

David Ângelo, médico estomatologista do Hospital da Luz Setúbal, concluiu a 25 de maio o doutoramento em Cirurgia Maxilofacial, na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL). A sua tese mereceu a aprovação unânime do júri, com distinção e louvor.

O projeto de investigação que está na base da tese teve início há cerca de cinco anos, quando o médico se propôs para desenvolver um projeto na área da disfunção da articulação temporomandibular – local onde a mandíbula (maxilar inferior) se articula com o osso temporal (do crânio) –, nomeadamente, perceber o efeito de duas técnicas cirúrgicas específicas. Trata-se de uma articulação complexa (a mais usada pelo corpo humano) e a sua disfunção causa dor intensa aos doentes, alguns dos quais ficam incapazes de falar e mastigar. Nos casos mais severos da doença, pode haver necessidade de remover o disco articular, que é fundamental para o funcionamento harmonioso da articulação.

Nos trabalhos preparatórios da investigação, que mereceram publicação em conceituadas revistas científicas internacionais, David Ângelo concluiu que a ovelha é o animal mais adequado para servir de modelo no estudo. Operou e acompanhou, então, durante seis meses, um grupo destes animais. As conclusões finais – já publicadas, entretanto, no Journal of CranioMaxilofacial Surgery – é que se deve investir na regeneração dos tecidos articulares para melhorar as técnicas cirúrgicas atuais, nomeadamente a discectomia. 

Na foto em cima, o novo doutor e o júri: da esquerda para a direita, Jacinto Monteiro (FMUL), Francisco Salvado (da FMUL, orientador da tese), Josep Maria Ustrell (Universidade de Barcelona), David Ângelo, Raúl Duarte (Escola de Saúde Ribeiro Sanchez), José Pedro Figueiredo (Universidade de Coimbra), João Eurico (FMUL) e José Augusto Melo Cristino (FMUL).