Hospital da Luz assegura assistência médica da Volvo Ocean Race

O Hospital da Luz volta a assegurar e a coordenar, pela terceira vez, a assistência clínica da etapa lisboeta da regata Volvo Ocean Race, cuja paragem (stopover) e provas de mar no estuário do rio Tejo vão decorrer entre 31 de outubro e 5 de novembro, na doca de Pedrouços. 

Enquanto parceiro de serviços médicos oficiais, o Hospital da Luz repete, depois das edições de 2012 e 2015, a associação à mais longa regata oceânica do mundo, cuja 13.ª edição envolve sete equipas de velejadores, num total de mais de 60 tripulantes. A prova teve o seu início a 22 de outubro, em Alicante (Espanha) e vai terminar a 30 de junho de 2018, em Haia (Holanda) – depois de passar por Lisboa, Cidade do Cabo (África do Sul), Melbourne (Austrália), Hong Kong e Guangzhou (China), Auckland (Nova Zelândia), Itajaí (Brasil), Newport (EUA), Cardiff (País de Gales) e Gotemburgo (Suécia).

Centro médico junto à entrada

No espaço da doca de Pedrouços, onde ficam baseadas as equipas participantes, o Hospital da Luz instalou um centro médico, onde cerca de 20 profissionais de saúde prestarão assistência clínica não só ao público presente no recinto, como também aos velejadores e às equipas técnicas envolvidas nos trabalhos de montagem, realização e desmontagem das infraestruturas do recinto (um trabalho que se iniciou a 21 de outubro e só terminará a 10 de novembro). Este centro médico do Hospital da Luz está apetrechado com todos os dispositivos necessários, incluindo eletrocardiógrafo, ventilador mecânico portátil, monitor/desfibrilhador e kits de sutura cirúrgica, entre outro material médico e medicamentoso.

De salientar que, entre os dias 1 e 5 de novembro, durante as provas de regata no estuário do Tejo, um médico do Hospital da Luz vai acompanhar as provas a bordo de um barco, estando preparado para prestar assistência a todos os tripulantes que venham a necessitar de tratamento imediato.

A assistência médica à Volvo Ocean Race é ainda garantida por ambulâncias para transporte hospitalar e pelos serviços do INEM, que serão ativados em caso de situações graves.